O que é REIKI e como funciona essa técnica de cura pelas mãos

s

Após a publicação “o Reiki agora é Profissão. Mas isso é bom?”, recebi perguntas de pessoas que não entenderam muito bem O que é exatamente o Reiki, e como ele surgiu. Então decidi fazer esta publicação para esclarecer essas dúvidas. 🙂

Atualmente, o Reiki é a prática de cura energética mais conhecida e presente em todo planeta e cada dia aumentam o número de pessoas interessadas em aprender a transmitir esta técnica de cura. Até mesmo a ciência tradicional já começa a comprovar a eficácia do Reiki no corpo. No Brasil, a UNIFESP (Universidade Federal São Paulo) tem realizado estudos muitos promissores e interessantes que vem comprovando que há aumento da atividade celular, inclusive das células de defesa do corpo após sessões de Reiki. (Veja mais em: “Acupuntura e reiki agora têm explicação científica” e Veja artigo da UNIFESP “Os Efeitos do Reiki na Hipertensão arterial“, na página 479, tem o estudo científico sobre o Reiki)

O Reiki não é uma religião ou dogma, mas sim um método cientifico destinado a auto-cura, para promover a saúde integral, ou seja, o bem estar físico, emocional, mental e espiritual. Ele não substitui ou anula nenhum tipo de técnica ou prática médica, mas sim, complementa e harmoniza sua atuação, contribuindo muito para a obtenção de melhores resultados.

O objetivo desta publicação é oferecer uma explicação didática sobre esta importante técnica para o despertar das consciências, bem como desmistificar algumas crenças negativas que fazem muitas pessoas se afastarem ou terem receio de receber ou se aprofundar no Reiki. Sabemos também que, além do Reiki, existem outras técnicas de curas energéticas também eficazes e positivas.

Para iniciar a explicação sobre o que é Reiki, é muito útil analisar o significado de sua palavra. De origem japonesa, é a combinação de duas palavra REI = passagem livre + KI = energia de forma vital universal. Desta maneira a palavra Reiki significa “passagem livre da energia vital universal”. Portanto, podemos dizer que o Reiki é a transmissão desta energia cósmica.

Esta energia pode ser “transferida” ou “fluída” pelo nosso corpo por meio, principalmente, da imposição das mãos. O Reiki foi criado e sistematizado no início do Sec 19, por volta de 1800, por inspiração do Dr. Mikao Usui, do Japão que após anos de estudo e meditação recebeu os conhecimentos para intensificar a forma de transferir energia vital pelo corpo físico para outras pessoas, animais ou natureza.

O Reiki atua de forma auto-sustentada e auto-regulada, ou seja, não há nenhum tipo de riscos de excessos ou necessidade de direcionar a energia com a mente, toda a distribuição da energia é guiada pela própria sabedoria dividida, de onde flui a energia Reiki. Mas é extremamente importante que o aplicador esteja vibrando amor e paz em seus sentimentos e pensamentos, pois o campo de atuação do Reiki é energético, e todas as vibrações inferiores influenciam no seu equilíbrio.

Porém, pôde-se dizer que o Reiki exerce principalmente 5 efeitos:

  • Produz um relaxamento profundo;
  • Dissolve bloqueios de energia;
  • Desintoxica e limpa o organismo;
  • Fornece energia vital para reequilibro energético do corpo;
  • Aumenta a frequência vibratória do corpo;

ORIGEM DO REIKI

Monge japones Mikao Usui que sistematizou o Reiki para o mundo.

Na década de 1980, o Reiki começou a se difundir pelos EUA e Europa, e chegou ao Brasil. Mesmo sabendo que ele foi sistematizado pelo monge Mikao Usui, sua difusão aconteceu pela norte-americana chamada Hawayo Takata, que se apresentava como a única mestra de Reiki no mundo. No final da década de 1990, documentos encontrados no Japão demonstram que o método de Usui seria diferente daquele ensinado por Takata e que outros discípulos continuavam a seguir os seus ensinamentos. Assim, duas vertentes começam a contrapor no Ocidente: o “reiki tradicional”, centrado nos escritos de Usui, e o “reiki ocidental”, baseado nos ensinamentos da Takata.

Porém, a essência do Reiki é milenar. Há 4.500 anos os chineses tem registros desta energia vital que flui e sustenta todas as formas de vida, e a chamam pelo nome de “CHI”. Praticamente todas as culturas retrataram em suas sabedorias espirituais esta energia divina que sustenta a vida. Os cristãos chamaram de “espírito santo”, os hindus de “Prana”, os russos de “bioplasma”, os alquimistas de “fluiído vital”, e a lista é interminável de culturas que alegam existir uma energia vital/divina que nos sustenta.

INICIAÇÃO NO REIKI – COMO SE TORNAR UM REIKIANO

Demonstração dos “Chakras”, nome dado aos centos de energia que regulam nosso corpo físico.

O Reiki Tradicional (que trata esse post) é dividido em 4 “níveis”, sendo esta divisão útil para oferecer a pessoa apenas a responsabilidade/conhecimento que deseja ou precisa. Em todas as iniciações, o mestre Reiki realiza uma “abertura” ou limpeza no chakra coronário (localizado no topo da cabeça), para que a energia vital possa fluir com maior intensidade por seu corpo para ser transmitido pelas palmas das mãos. Não há prejuízo, alteração ou malefícios em nenhuma iniciação Reiki. Porém, como promove ampla limpeza interior, pede-se que o iniciado fique por 21 dias em cuidados especiais, como alimentação leve, evitar locais com grande aglomeração de pessoas e distúrbios emocionais. Pois o corpo físico precisa se adaptar ao maior fluxo energético que está recebendo.

Existem muitos locais que oferecem formação em Reiki, e o fazem de formas variadas, porém mantendo sempre a mesma essência e propósito de promover a cura, equilíbrio e elevação da consciência.

Veja abaixo mais informações sobre cada nível do Reiki:

NÍVEL 1: Etapa inicial, onde a pessoa receberá informações sobre o conceito, história e aplicações do Reiki. Trata-se de uma etapa inaugural, onde o iniciado poderá ter o primeiro contato com a energia Reiki sem se aprofundar ou receber ferramentas avançadas, e sua atuação terá alcance a nível do corpo físico. Indicado para pessoas “curiosas” ou apenas para ter conhecimentos básicos da técnica.

NÍVEL 2: Nesta etapa, o iniciado já receberá o conhecimento de símbolos sagrados e maior abertura da energia Reiki para potencializar o fluxo de energia vital. Neste nível, a energia Reiki atua além do corpo físico, alcançando a nível mental emocional. Neste nível o iniciado recebe também técnicas para aplicação do Reiki a distância. Desta forma, este nível é indicado para quem realmente deseja incorporar o Reiki em sua vida, aplicando em si próprio e em seus semelhantes. Indicado para pessoas a partir de 14 anos.

NÍVEL 3: Este nível é alcançado na maioria das vezes por pessoas que desejam utilizar o Reiki como uma ferramenta de trabalho espiritual, onde se colocará sempre a disposição para auxiliar as pessoas por meio do Reiki. Trata-se do nível mais avançado que o iniciado pode alcançar, onde aprende-se um novo símbolo sagrado para ampliação do fluxo energético.

NÍVEL 4: O nível do Mestre. Chega aqui quem sente no coração o chamado para ser um ponto multiplicador dos ensinamentos e energia Reiki no mundo. Nesta etapa é transferido os conhecimentos sobre como realizar todas as iniciações dos 4 níveis para a abertura da energia Reiki. Uma etapa de grande responsabilidade, pois ao decidir se tornar um Mestre Reiki, é necessário comprometimento na causa de expandir a técnica. Sendo assim é dever do mestre iniciar novas pessoas na energia Reiki (sem usar isso como uma forma de enriquecer ou ter benefícios pessoais).

A RELAÇÃO DO REIKI COM O DINHEIRO

Com tantos “cursos” e aplicações de Reiki você deve estar se perguntando como funciona a relação desta técnica com o dinheiro, afinal são pessoas que dedicam seu tempo e atenção para esta atividade.

Realmente existe muitas controvérsias em relação a este tema. Mas geralmente existe uma “convenção” que considera justo cobrar pelas iniciações, pois o mestre deve realizar um trabalho de professor, preparar material da aula, ter didádica, etc…

Já a cobrança pelas aplicações de Reiki é mais raro e gera ainda mais controvérias, pois muito se questiona que não faz sentido alguém cobrar para realizar uma atividade que advém da energia cósmica universal. É um trabalho de cura energética, onde o aplicador não tem que fazer nada a não ser concentrar-se no Bem e no Amor ao próximo para que a energia flua sem interferências. E também não houve nenhum esforço pessoal de estudo ou grandes dedicações para receber as bençãos das iniciações. Ele vem gratuitamente do “essencial invisível aos olhos”.

(Mesmo defendendo que a aplicação do Reiki deve ser gratuita, não queremos julgar as pessoas que pensam diferente. A nossa verdade não é absoluta. Cada pessoa segue o que acredita em seu coração.)

Sobre as iniciações, é comum ver mestres que oferecem iniciação no Nível I e II de uma só vez. Isso é perfeitamente possível, ao considerar que o Nível I é realmente bem básico e superficial.

O Nível 3 é ministrado de forma única, e o nível 4 (formação de mestres) também. Ou seja, para quem deseja se tornar um mestre Reiki, será preciso no mínimo 3 iniciações. E, como cada iniciação influencia o corpo energético, não é possível realizá-las em sequência. Devendo aguardar no mínimo 21 dias entre cada nível (exceto o I e II que pode ser feito no mesmo momento).

É possível também fazer a “reciclagem”, ou seja, realizar novamente um nível específico. Isso é comum entre pessoas que foram iniciadas há muito tempo e sentem um “chamado” interior para vivenviar novamente este fluxo de energia. Nossas decisões e escolhas do dia-a-dia podem prejudicar essa ligação energética, especialmente se a pessoa passar um longo período sem praticar o Reiki. Por isso a reciclagem acaba sendo um “religar” com essa energia e intenção de cura.

COMO O REIKI É APLICADO

Como já dito, o Reiki é aplicado por meio da imposição das mãos sobre o corpo da pessoa atendida, que pode estar deitada, sentada ou até mesmo em pé, onde não há necessidade de nada adicional: colares, medalhas, óleos, orações, rituais…nada. O Reiki flui até mesmo através do metal. É extremamente comum tanto o reikiano, quando a pessoa assistida, sentir calor, frio, formigamento ou amortecimento das mãos ou região do corpo que recebe a energia. São apenas sintomas físicos do fluxo de energia Reiki.

Exemplos de posições para aplicação do Reiki. NÃO é preciso utilizar óleos, fazer massagem, nem mesmo encostar na pele.

Existem posições específicas que o reikiano é instruído a aplicar a energia, a maioria coincide com a localização dos 7 chakras principais do corpo, pois são locais onde existe maior fluxo de energia, e portanto, o Reiki será absorvido de forma mais eficaz. A energia Reiki flui também pelos olhos, pés, e caso a pessoa seja cega, ou não tiver os membros, poderá emitir o Reiki pelo chakra frontal (meio da testa) ou pelo cardíaco (coração).

A imposição das mãos não significa necessariamente contato físico. A maioria dos reikianos encostam as mãos na pessoa atendida, especialmente porque é realmente cansativo ficar muito muito tempo “segurando” as mãos no ar. Porem, algumas pessoas optam por não encostar no corpo, como o meu caso por exemplo. Ao posicionar a mão a poucos centímetros do corpo da pessoa, toda energia Reiki é absorvida normalmente.

As aplicações de reiki podem ser individuais, onde existe apenas um reikiano aplicando, ou coletivas, quando mais de um reikiano está realizando a aplicação ao mesmo tempo. Quando as aplicações são coletivas, o fluxo de energia é muito maior, e portanto, é preciso menos tempos para energizar a pessoa assistida. Porém, como a energia Reiki é auto-suficiente e auto-sustentada náo existe nenhum tipo de risco associado a “super dosagem” ou algo desta natureza.

OBS: Mesmo sendo uma pratica absolutamente desprovida de pensamentos inferiores, sabemos que a nossa sociedade tende a sexualização de todos os atos. Desta forma, aconselha-se que os homens reikianos, quando aplicarem nas mulheres, redobrem a atenção, evitando contato das mãos nas posições que se aproximam das partes relacionadas a sexualidade, como chakras cardíaco (região do peito) e o Chakra básico (região da púbis). Não custa nada levantar as mãos ao aplicar nessas regiões, para evitar qualquer tipo de desconforto na pessoa assistida, ok?

ATENÇÃO: CUIDADOS COM FALSOS REIKIANOS

É inacreditável a capacidade de certas pessoas de usurparem as boas energias, em benefício próprio e interesses egoistas. E, infelizmente, com o Reiki não é diferente.

Temos ouvido relatos de pessoas que foram instruídas a passar óleo no corpo, fazer massagem e até mesmo, pasmem, tirar a roupa ficando apenas com as peças íntimas. O falso reikiano, nestes casos, afirma que desta forma a energia irá fluir de forma mais apropriada e sem interferências.

Ora, se o Reiki trabalha nos corpos energéticos, que estás acima do físico, qual seria o sentido desta afirmação ? Com certeza NENHUMA.

Sendo assim, por favor, NÃO aceite nenhum tipo de imposições desta natureza. E caso se depare com algo assim, retire-se imediatamente e alerte as pessoas sobre a existência desta falso reikiano para que mais pessoas não venham a cair em suas intenções maliciosas.

OBS: Como apresentado no post “Como funciona o Karma – Lei do Retorno”, essas pessoas receberão as consequências por seus atos. E, com certeza, aprenderam que não devem, em hipótese alguma, usurpar o Bem com propósitos inferiores, se aproveitando da fraqueza das pessoas necessitadas. .

O MUNDO PRECISA DE REIKI

Nosso mundo vive um período de profundas transformações. Finalmente as verdades ocultas estão vindo a toda em todas as áreas e níveis. E, como sabemos que a verdade muitas vezes “dói”, essas revelações virão acompanhadas por grandes distúrbios sociais e desequilíbrios individuais.

Diante desta cenário, é extremamente útil e bem-vindo a expansão da prática do Reiki no mundo. Quanto mais elevarmos o nível vibratório dos nossos corpos e consciência, melhor preparados estaremos para esses momentos de grandes tribulações.

O Reiki nos ensina que “somente a transformação é que merece ser chamada de Cura. Curar-se não é deixar de sentir sintomas, mas TROCAR repressão por compreensão; ignorância por sabedoria; alienação por autoconhecimento; desespero por coragem; desejo por preferência”

INVOCAÇÃO PARA APLICAÇÃO DO REIKI

Para finalizar esta publicação, compartilho a invocação que traduz a essência positiva da energia divinda do Reiki e o seu objetivo maior na humanidade:

Do Ponto de Luz na Mente de Deus
Que flua luz as mentes dos homens
Que a Luz desça a Terra

Do ponto de Amor no coração de Deus
Que flua amor aos corações dos homens
Que Cristo retorne a Terra

Do centro onde a Vontade de Deus é conhecida
Que o propósito guia as pequenas vontades dos homens
O propósito que os Mestres conhecem e servem

Do centro a que chamamos a raça dos Homens
Que se realize o plano de amor e de Luz
E feche a porta onde se encontra o mal

Que a Luz, o Amor e o Poder
Reestabeleçam o Plano Divino sobre a Terra

Como Funciona o Karma – Lei do Retorno

“Assim como semearmos, assim também colheremos”. A afirmação do mestre Jesus define a essência do significado do Karma, palavra originada no oriente (do sânscrito, “ação”) e utilizada como definição da chamada Lei do Retorno, como o ocidente tem denominado.

A explicação mais básica do Karma, é “Causa e Efeito”. A sabedoria de que não somos vítimas de um universo aleatório, mas co-criadores com Deus, que nos concedeu o Livre-Arbítrio, ou seja, o poder de podermos decidir e agir livremente sem a interferência direta dos planos metafísicos em nenhum aspecto de nossas vidas. Porém, o exercício do livre-arbítrio traz as consequências como resultado. E essas consequências são as origens dos aprendizados e das dádivas recebidas nesta vida.

Toda ação que realizamos, todo pensamento que temos, ou sentimentos que expressamos trazem consigo a origem dos acontecimentos que moldarão nossas vidas.

Muitas pessoas atualmente estão acordando para a necessidade de SER, e compreendendo que esta postura de ser responsável pela sua vida e compreender os próprios desafios como aprendizados (e não injustiça) é o único caminho realmente auto-sustentado, pleno e completo, a qual nenhum dinheiro, status ou poder é capaz de prover.

O KARMA PELAS MOTIVAÇÕES

Os nossos comportamentos no presente estão moldando o nosso futuro. Porém, o karma atua nas motivações por trás de cada ação que vivenciamos. Qualquer gesto ou ação no plano físico não anula a consequência das verdadeiras intenções que são expressadas apenas por nossos pensamentos e sentimentos, ocultos aos olhos humanos, mas não à natureza do Karma.

Para compreender esse fato, podemos analisar o caso de uma pessoa que é para os pobres ou fiéis um benfeitor, mas que em verdade só é assim, pois esta em busca de reconhecimento público, fama, respeito e poder, e não por alguma real preocupação ou motivação nobre de ajudar. Naturalmente, essa pessoa iria obter alguma “quantidade” de Karma positivo pelas ações praticadas, mas como a motivação é egoísta, o seu “saldo” de karma positivo seria limitado.

Compare essa pessoa com uma outra que luta com dificuldades pela satisfação na vida, mas que, lamentando de forma verdadeira a realidade de pessoas em piores condições, doa, recicla e contribui com o pouco que tem, de forma sincera. A motivação desta pessoa é pura e verdadeiramente altruísta, gerando assim grande “quantidade” de karma positivo.

Nossas vidas são regidas pelas energias que emitimos e não (apenas) pelos atos que praticamos. O conteúdo, e não a forma, é o que interessa para a evolução. Fazer o bem porque isso é certo (e necessário nestes tempos que vivemos) tem muito mais valor do que fazê-lo apenas para ter uma boa imagem aos olhos dos próprios pares e da sociedade.

Sendo assim, reflita sobre as reais motivações de tudo aquilo que você está realizando em seu dia-a-dia. Você realiza de bom coração? Ou esta sempre em revolta ou conflito mental com sua realidade? Quais são as origens desta revolta ou conflito? Examine-se em sua consciência. Aceitar os erros (e a vergonha interior por cometê-los) é o primeiro passo para o desenvolvimento da consciência do karma. Estamos todos em evolução, não somos perfeitos. Perdoe e busque melhorar sempre.

O KARMA E AS LIÇÕES DA VIDA

O karma é, portanto, o resultado de uma causa posta em ação por uma pessoa, um grupo de pessoas, uma cultura especifica ou, até mesmo, o planeta como um todo. É comum interpretar o Karma apenas como algo negativo, mas isso não está correto. O karma é simplesmente o efeito apropriado de uma causa, tanto positivo, quanto negativo, que existe para nos dirigir ás experiências apropriadas que irão ensinar o que precisamos aprender.

Temos a tendência de pensar de forma imediatista e chamar de karma negativo o que não gostamos no presente, mas se examinássemos um pouco mais, poderíamos ver que muitas vezes o nosso julgamento estará equivocado.

Um acidente ou imprevisto, por exemplo, pode ser visto como karma negativo a primeira vista, porém suas consequências podem nos livrar de situações muito piores e mais degradantes. Não podemos julgar os acontecimentos apenas pela ótica momentânea. Vivemos para evoluir, e o professor da vida é o karma que, através da energia de Deus, nos move para o crescimento e evolução.

Seremos forçados a enfrentar o que tiver sido objeto de nossos julgamentos, críticas, condenações, abusos, maus usos, proveitos, etc…a fim de saber o que é passar por isso para que possamos nos tornar seres verdadeiramente conscientes.

Temos muitas qualidade, que foram evoluídas por nossos méritos que construimos através da luz da razão, da compaixão, do amor e da paz. Espera-se, portanto, que possamos evoluir e superar nossas provações com toda essa sabedoria interior acumulada. Nenhuma provação é, portanto, superior a capacidade de uma pessoa de superar um lição, (a não ser pela atuação de karmas coletivos impessoais, como no caso de guerras, doenças, etc – mais informações a seguir).

Porém, caso o aprendizado não ocorra, seremos lançarmos até uma situação em que não teremos escolha a não ser aprender a lição necessária. E se não aprendermos da primeira vez, o Karma irá atuar em níveis cada vez mais profundos desta lição particular até que a assimilemos corretamente.

O KARMA POSITIVO

O Karma pode ser muito positivo, pois sua atuação é regida pelo “toda causa tem seu efeito” e “assim como semearmos, assim também colheremos”. É como um rio que corre para ambas as direções, reforçando as experiências positivas e atuando como um instrutor em nossa passagem pelas experiências mais difíceis de nossas vidas.

NOTA: Algumas filosofias apelidaram o karma positivo de “Dharma”. Claro que não há problemas em adotá-lo, mas em essência essa divisão é desnecessária, pois a palavra karma, como vimos, significa apenas “ação”, e interpretado, portanto como a “lei em ação“, pelas filosofias milenares que adotaram esta palavra. O karma, portanto, pode ser positivo ou negativo.

Se de fato seguirmos os ensinamentos do Mestre Jesus, ao dizer “assim como semearmos, assim colheremos”, podemos compreender facilmente que em nossas vidas estamos sempre plantando sementes para manifestações futuras, que todos os nossos atos estão ligados a uma consequência posterior. Não como uma imposição, mas como uma realidade.

Não é objetivo deste texto explicar a metodologia de atuação do karma, que é transmitido e armazenado no campo áurico de cada pessoa, mas em suma podemos dizer que nos magnetizamos com aquilo que trazemos ao mundo e que atrairemos de volta aquilo que emitimos.

Portanto, todos nós trazemos o magnetismo, ou radiância, de todas as boas ações e motivações puras que manifestamos em todas as nossas vidas precedentes. Logo, todos os atos de gentileza, generosidade, amor, caridade, perdão. Etc., vão florescer inevitavelmente em vidas subsequentes. Aqueles que possuem apenas a visão da vida atual, e que imaginam que a sua existência não vai além disso, costumam julgar que a vida é injusta, aleatória ou incompreensível. Amado irmão, isto não é verdade.

Aquele que deu de si com pureza de motivos e de coração, ou sacrificou sua vida pessoal pelo amor ao próximo e evolução da humanidade, porém morreu sem amigos, dinheiro ou reconhecimento de modo algum se perdeu no abismo do infinito sem reconhecimento. Isso simplesmente não faz sentido para a sabedoria das “muitas moradas na cada de meu pai”, como também expressou o Mestre Jesus (utilizo as passagens de Jesus por escrever principalmente a um país de maioria cristã, mas esses ensinamentos tanto do karma, quanto da múltipla existência da vida estão presentes em praticamente todas as escolas do saber espiritual, desde o antigo Egito, zoroastrismo, ao budismo, hinduísmo e o atual (e cristão)  espiritismo.

No caso desta pessoa que morreu na desgraça física, mesmo tendo pureza e altruísmo, havia uma lição particular que esta alma tinha que aprender ao passar por essas privações. Mas todo bem feito por nós fica registrado em nossos campos energéticos e vai atrair nas próximas existências, os frutos das boas obras realizadas.

Assim, muitos veem com sua visão limitada, que a boa sorte de uma pessoa que nasceu em “berço de ouro”, é uma injustiça, comparando a sua vida marcada pelos esforços e dificuldades. Essa pessoa obteve a sua “boa sorte” ao nascer em virtude do seu bom karma. Porque nada na vida, quando visto pela lente maior de Deus, é casual ou injusto.

E nem sempre o fato da pessoa nascer em “berço de ouro” pode ser interpretado como uma dádiva, pois a pessoa terá o livre-arbítrio para agir de forma amorosa ou egoísta. Se não se voltar ao auto-conhecimento poderá cair nas vibrações do poder, da fama e competitividade que nosso mundo atual transmite e cometer erros muito maiores que uma pessoa humilde poderia cometer. Veja por exemplo, o caso de um político rico e corrupto que tem o poder de prejudicar o sistema público de saúde de uma cidade inteira pelo nível que alcançou devido a sua “boa sorte”. O karma negativo gerado por alguém de “boa sorte”, mas que empregou essas dádivas para manifestação do sofrimento e desrespeito alheio será muito mais profundo. É a essência do ditado “quanto mais se sobe, mais alta será a queda”.

O karma é um fluxo constante que traz consigo o conteúdo positivo ou negativo gerados em situações e eventos que não podem ser percebidos com os sentidos físicos.

Aqueles que receberam do destino sorte no amor, boa saúde, beleza física e que nasceram em famílias amorosas mereceram tal realidade no âmbito de suas muitas encarnações. Porém, temos que lembrar sempre que não podemos distinguir de fato o caminho mais fácil do mais difícil. Muitos que possuem todas as dádivas da vida, podem estar passando por terríveis momentos de aflição interior, pois como diz o adágio bíblico “que aproveita o homem que ganha o mundo inteiro se ele perde sua própria alma?”

NÃO JULGUE PARA NÃO COMETER ERROS DE JULGAMENTO

O karma é uma das manifestações mais complexas de Deus em nossas vidas. O que parece positivo pode ser o caminho mais difícil. Muitos que aparentemente vivem com todos os bens que a vida pode oferecer, em verdade estão vivendo a lição de compreender como é oca e vazia uma vida que não põe os ensinamentos de Deus, do amor, da paz, em primeiro lugar. Porém, claro, há muitos que colocam o seu sucesso pessoal a serviço da evolução da humanidade, o que espero ver crescer nos próximos anos.

Desta forma, tudo que nos sucede pode ser bom ou ruim, mesmo que pareça ser impossível não afirmar a natureza do fato. Veja por exemplo um acidente. Sem dúvidas será encarado pela grande maioria como algo negativo e talvez fruto do karma negativo, porém pode se concretizar como uma verdadeira benção. Para compreender essa sabedoria, veja a seguir uma curta parábola muito precisa para melhor entendimento:

——————————-

Um casal que se sentia solitário rezou a Deus por um filho. O casal foi agraciado com o filho e começou um grande celebração.

-Vocês têm muita sorte por ter um filho nesta altura da vida, disse o vizinho.

Em lugar do pai, um sábio deu apenas a resposta: – Talvez

O tempo passo, a criança tornou-se jovem e quis um cavalo. Como tinham pouco dinheiro, os pais rezaram com fervor e sinceridade para que o filho tivesse um cavalo. Deus atendeu ao pedido. O pai se encheu de gratidão, dizendo que ele tinham muita sorte e que Deus tinha sido muito bom com eles outra vez.

E o sábio deu a mesma resposta: – Talvez

Semanas depois, enquanto cavalgava, o filho sofreu um terrível acidente. Foi atirado do cavalo e quebrou várias costelas e as duas pernas. O pai reagiu a sito censurando Deus por de repente ser tão cruel e injusto.

O sábio, que nunca se afastava muito da família, respondeu simplesmente como sempre, mostrando um meio sorriso o canto da boca: – Talvez

O filho ficou feriado, lutando pela vida, quando de repente eclodiu uma guerra. Todos os jovens da cidade foram combater nesta guerra, e como a situação era adversa, morreram todos em batalha. Enquanto isso, o filho do casal fazia miraculoso progressos em sua recuperação. O pai disse então que Deus fora muito bom ao ferir o seu dele a fim de poupar-lhe a vida.

E o sábio simplesmente deu seu meio sorriso e respondeu: – Talvez.

—————————-

Essa parábola não tem fim. Ela mostra simplesmente as correntes do karma e a nossa incapacidade de discernir o que e karma positivo e o que é chamado como karma negativo.

Sendo assim, devemos passar por nossas lições e dádivas kármicas com a maior harmonia e graciosidade possível. Veja o caso de Nelson Mandela, que após mais de 20 anos preso sai da prisão evocando o perdão, surpreendendo todos já prontos para a guerra.

E, como o meio sorriso do sábio, não julgue, mas simplesmente responda “talvez” a quem julgá-lo com ou ruim e deixe o resto nas mãos de Deus.

O Karma não traz nenhum julgamento, e deve ser visto simplesmente como a lei em ação, impelindo-nos a rumar para a sabedoria mais profunda e para a ação mais sincronizada com Deus.

Uma atitute extremamente útil para caminhar pelo karma com harmonia é ter na vida não apegos, mas preferências. Uma preferência é uma atitude de querer alguma coisa, mas ficar contente mesmo que não se consiga essa coisa. Uma atitude de apego, no entanto, deixa a pessoa desapontada, desiludida e irritada quando seus desejos não são atendidos. Ao aplicar essa atitude em sua vida, automaticamente você estará sendo guiado para vivenciar a consciência do seu Eu superior.

Quanto mais rapidamente estivermos dispostos a aprender, com tanta maior velocidade passaremos pelas lições necessárias e começaremos a vivenciar um nível cada vez mais superior de consciência. Mas antes precisamos aprender a não combater com revolta os desafios e dificuldades que nos chegam. Em psicologia, isso chama-se “aceitação”; no budismo, chama-se “não-resistência”. No hinduísmo, Sai Baba referia-se a esta como uma atitude de “acolher a adversidade”

É importante compreender que você pode, com o seu livre-arbítrio, pedir a Deus e aos mestres para acelerar a manifestação do seu karma, mas também, caso sinta-se muito exausto diante das lições da vida, pode pedir para reduzir-lhe a velocidade. Lembre-se sempre que Deus e os mestres trabalham com você em uma parceria co-criativa, onde o seu Destino é moldado pelas lições do karma e as escolhas do seu livre-arbítrio.

Quanto mais evoluímos no caminho da ascensão espiritual, mais nos envolveremos com o processo do karma em nossas vidas. Saber disso, vai ajudá-lo a ver que a tendência de sua vida, é uma tendência que você, enquanto alma, busca manifestar a fim de fazer o progresso mais eficiente. Você não é simplesmente uma vítima do passado. É co-criador do seu próprio destino, tendo criado para si mesmo com o auxilio dos mestres espirituais, as situações que trazem o melhor potencial para a sua evolução.

A paciência, a perseverança, a meditação, o estudo, a leitura e o auto-conhecimento são as chaves para alcançar as dádivas do karma, que receberemos sempre que concluirmos com sucesso nossas lições.

O KARMA COLETIVO IMPESSOAL

Há muitas forças kármicas que somos submetidos, mesmo que não façamos parte de sua causa. É o caso das guerras, as consequências das poluições humanas, doenças, catástrofes, e até mesmo atentados terroristas que submetem muitas vidas a consequências incompatíveis com seu karma pessoal, ou seja acontecimentos que não foram invocados por nós mesmos, mas pelas escolhas que moldaram o planeta de um modo geral.

Porém como a Lei do Karma se expressa por Deus, que é sempre justo, muitas das mortes físicas provocadas pelas manifestações do Karma Coletivo impessoal faz com que as lições do karma individual que seria trabalhado de modo ledo e menos dramático, seja cancelado instantaneamente, libertando aquela alma num átimo de tempo, ao invés de ser necessário muitas vidas de aprendizados.

Visualize esse cenário no caso de uma pessoa de bom coração e conduta correta, que se vê refém da guerra, onde acaba presenciando a morte trágica de todos os seus familiares e ainda sofrendo abusos e torturas antes da morte. Naturalmente, essas elevadas experiências de dor e sofrimento de uma pessoa justa e honesta, que não deveriam fazer parte do processo de karma individual dessa pessoa se acumulam dentro da alma, e essas energias irão transmutar a necessidade de passar por mais desafios negativos.

Porém, não pôde-se afirmar como certeza deste tipo de atuação para todas as pessoas submetidas ao karma coletivo impessoal, mas equivale a dizer que as leis de Deus vão corrigir e ajustar as consequências provocadas pelo coletivo na jornada evolucionária de uma alma. Ninguém sofre sem antes ter sido observado, cuidado e, em última análise, curado.

Fazer parte da humanidade é compartilhar dos erros e acertos do passado, além de se submeter as influências diversas que vão muito além da nossa atuação pessoal. Estamos todos intimamente ligados pelas causas e consequências, sejam coletivas ou individuais.

O NÃO JULGAMENTO E A LIBERTAÇÃO DO KARMA

Seja sob a ótica pessoal ou coletiva, os ensinamentos que o Karma oferece reforçam a necessidade do não julgamento. Logo, observem, aprendam, mas nunca julguem a má sorte ou boa sorte de qualquer pessoa, pois você não sabe quais as veredas da vida ela percorreu para sua situação atual.

Mas de que forma podemos então, passar por essa “mar” do karma de forma positiva? A resposta é bem simples, porém sua aplicação depende de grande empenho interior: com o máximo das nossas capacidades e numa constante sintonia com os valores de Deus, que se expressam por nosso coração quando atuamos de forma sincera e amorosa.

A intuição e o sentir são mais eficazes para compreender o karma, pois toda sabedoria oculta é trazida a luz no coração de cada pessoa. O amor, a sabedoria e o serviço aos outros (caridade) é um grande recurso de transmutação do karma, e está ao alcance de todos nós. O verdadeiro poder de cura reside sempre no interior de cada um de nós.

Reivindique o seu livre-arbítrio para superar suas lições com amor e aceitação, para assim trilhar o seu caminho de forma positiva na infinita jornada da evolução.

buda-5

FONTES UTILIZADAS PARA O TEXTO:

  • Livro “O caminho da ascensão” – Joshua David Stone (toda linha de raciocínio da apresentação do texto foi inspirada nesta obra)
  • Textos bíblicos
  • Livro “Bhagavad-Guitá”
  • Livro “As Chaves de Enoch”

 

Feliz Ano Novo Egípcio e Maia! 26 de julho

calendario maia

Feliz Ano Novo!
Durante 6.000 em nossa história, seria essa a mensagem desta noite de 25 de julho.

Os egípcios, maias e civilizações antigas adotavam um calendário de 13 meses e 28 dias (ciclo das fases da lua). Segundo a arqueologia, o início do calendário egípcio é marcado pelo nascer helíaco de Sírus, dia 26 de Julho.

O interessante desses estudos é que nos despertam a pergunta sobre qual o padrão de tempo que seguimos atualmente.

Criado na Babilônia, o nosso calendário gregoriano foi instituído a partir de motivações políticas/econômicas e chegou até a ter 18 meses no período Romano.

Foi Júlio César que determinou o calendário atual com os dias bissextos e o mês “Julho”, em uma auto homenagem. Mais tarde o Imperador Augusto, instituiu o 31 dias em Agosto, para se igualar aos 31 dias Julho do imperador Julho César.

O calendários gregoriano que utilizamos atualmente não segue nenhum ciclo biológico, lunar, solar ou nada que se relacione com ciclos do planeta ou universo.

Muitos defendem que essa não-harmonia com os ciclos naturais afeta a psiquê e o emocional levando a consequências negativas para a saúde.

Existem atualmente muitas pessoas que seguem outros tipos de calendários, especialmente dos Maias (veja mais em www.sincronariodapaz.org).

Existem até projetos sendo analisados pela ONU que propõem a alteração do nosso calendário para o sistemas que segeum ciclos naturais, como lunares (13 meses/28dias).

Um assunto complexo que não será concluído em um breve texto. Mas escrevo como um incentivo para refletir sobre novos pontos de vista.

Acredito que a adequação do nosso calendário será uma das transformações que precisaremos passar em novos tempos de regeneração do planeta e de nós mesmos.

Precisamos nos reconectar com os ciclos da vida. Compreender suas leis, aprender com suas lições e viver em harmonia.

Todos os esforços para deixarmos o mundo mais propício para o cultivar do sentimento mais importante da nossa evolução: O Amor.

De onde vem o descrédito pela Astrologia?

Atualmente a arrogância provocada pela ciência da comprovação ocular nos afasta de diversos conhecimentos milenares, reduzindo-o a meras “pseudo ciências” sem importância e credibilidade real….Uma das principais é a Astrologia. Mas porque isso ocorre?

Um Breve Histórico da Astrologia

Até a Idade Moderna, Astronomia e Astrologia eram indistinguíveis. Acredita-se que seu surgimento se deu na Suméria por volta do 4o milênio a.C, portanto com mais de 6.000 anos de história, é uma das ciências mais antigas e difundidas de toda a história documentada, e seu papel foi relevante na formação de diversas culturas. Desde os livros sagrados como Vedas e Bíblia, ´a mesopotâmia, Índia e China Antiga. Até mesmo os astecas e maias possuíam a cultura de estudar os astros e interpretar sua influência sobre nossas vidas e o ecossistema.

Uma das concepções inteligentes mais antigas da história, descoberta há mais de 5.000 anos.

Uma das concepções inteligentes mais antigas da história, descoberta há mais de 5.000 anos.

Os motivos do descrédito atual pela Astrologia

Infelizmente, o complexo e ancestral conhecimento sobre astrologia foi transmitido em forma de horóscopos curtos e superficiais, publicados em jornais, e muitas vezes, escritos por jornalistas sem nenhum conhecimento em astrologia. Este fato fez com que muitos desconsiderassem a astrologia como algo sério e verossímil, mesmo sem nenhum esforço pessoal para obter conhecimentos sobre o tema.

Outro fato que motiva o descrédito das pessoas é quando a descrição do perfil comportamental do signo não corresponde com a realidade apontada pela pessoa. É importante ressaltar que o chamamos de “signo” significa a posição do astro Sol na hora do nascimento, que apesar de ser o maior influenciador de personalidade, é apenas um dos aspectos que influenciam a personalidade de uma pessoa. A posição da Lua, e o ascendente também muito importantes. E, ainda assim, existem as influência provocadas por conjunções astronômicas, como as quadraduras e sextis por exemplo.

Desta forma, para a pessoa ter uma análise correta segundo a astrologia, é preciso fazer a interpretação do seu mapa astral, que oferecerá todos os subsídios para uma interpretação verdadeira. E, mesmo em caso de discordância, ainda assim não é justo o descrédito. Afinal, uma pessoa pode não desenvolver uma doença, mesmo com sua genética favorecendo seu surgimento. Mesmo a pessoa não adoecendo, a genética deve continuar a ser considerada relevante.

A astrologia representa apenas um dos fatores que determinam a personalidade de uma pessoa. Juntamente com a astrologia e a genética, a criação familiar e as características físicas do local da criação são todas relevantes na formação da personalidade humana.

Porém, talvez a maior causa da “ridicularização” atual pela Astrologia seja a Industria Cultural transmitida e reforçada pela Mídia. Em um mundo onde obras de arte são reduzidas a estampas destorcidas de sapatos e camisetas, um conhecimento profundo e amplo com a astrologia não tem campo para florescer. Com esta intensa pressão pela massificação dos conhecimentos, o horóscopo de jornal é o maior exemplo de como um conhecimento complexo pode ser reduzido quase a “migalhas” antes de ser transmitido às pessoas pela Mídia. Vivemos em um mundo pressionado para ser efêmero, superficial e vazio em todos os sentidos.

A lição mais importante a respeito das culturas antigas é o estudo. Apenas com ele é possível compreender e, assim, formular opiniões válidas a respeito de seus conhecimentos. O pré-julgamento é o maior assassino da compreensão.

Quem somos nós para julgar um conhecimento de 6.000 anos, aprovado e transmitido pelas civilizações mais complexas de nossa história?

Por Dentro do Cérebro: Tudo que você precisa saber sobre a Glândula Pineal

O objetivo deste texto é reunir pesquisas, explicações e dados a respeito da glândula pineal, também chamada de Epífise, localizada no centro de nosso cérebro, e assim poder se aproximar do entendimento que desperta o interesse de estudiosos desde 300 a.C.

Um dos mais proeminentes é o filósofo e matemático, Renê Descartes, que em 1640 afirmou que a glândula pineal seria a ligação entre o corpo e a alma. A ciência não para de descobrir (e se surpreender) com as descobertas em relação a esta glândula e sua função em nosso organismo.

Anatomia da Glândula Pineal

A glândula pineal é uma pequena glândula endócrina localizada perto do centro do cérebro, entre os dois hemisférios. Com estrutura cinza-avermelhada do tamanho aproximado de caroço de uma laranja (25 por 12 mm em humanos de aproximadamente 500 mg de massa).

Anatomicamente, é considerada parte do epitálamo. É uma estrutura epitalâmica pequena e única, situada dorsalmente à região caudal do diencéfalo. Ela é derivada de células neuroectodérmicas e, e se forma à semelhança da retina dos olhos, desenvolve-se a partir de uma invaginação do teto da parede do terceiro ventrículo.

Localização Glandula Pineal no cérebro.

Localização Glandula Pineal no cérebro.

A Glândula Pineal está presente também em praticamente todos os seres do reino Animal, sendo encontrado inclusive em peixes. Mas, diferentemente dos demais órgãos evolutivos, onde geralmente apresentam as mesmas estruturas, a Glândula Pineal é diferente em cada animal e ser humano, como uma impressão digital.

Veja abaixo algumas imagens reais das glândulas pineais em seres humanos:

Anatomia da glândula pineal no cérebro.

Anatomia da glândula pineal no cérebro.

Funções da Glândula Pineal pela Ciência Clínica

“A pineal é um sensor capaz de ‘ver’ o mundo espiritual e de coligá-lo com a estrutura biológica. É uma glândula, portanto, que ‘vive’ o dualismo espírito-matéria. O cérebro capta o magnetismo externo através da glândula pineal”.

A ciência postulou por muito tempo que a Pineal seria um órgão vestigial, e que após a puberdade se calcificava e perdia função. Atualmente, pesquisas como do Dr Sérgio Felipe de Oliveira (veja entrevista com ele aqui), maior pesquisador da Glândula Pineal no Brasil e um dos maiores do mundo, estão mudando completamente a percepção da ciência.

Hoje, sabe-se que a Pineal é constituída de estrutura vivas (e não apenas por sais, como ocorre na pedra no rim), com intensa irrigação sanguínea e íntimas relações com hormônios essenciais ao nosso corpo, que influencia diretamente os ciclos vitais (principalmente o sono) e no controle das atividades sexuais e de reprodução.

Descobriu-se que ela apresenta metabolismo intenso e grande captação de substâncias como aminoácidos, fósforo e iodo, sendo que no caso do Iodo só é inferior que a tireóide. A produção de melatonina, hormônio derivado do aminoácido triptofano, que tem funções importantes no sistema nervoso central é estimulada pela escuridão e inibida pela luz. E pode estar aí, uma das razões para a comprovação da ciência de que precisamos de um ambiente escuro para uma boa noite de sono.

Ou seja, a luz que entra por nossos olhos influencia diretamente funcionamento da glândula pineal. A estrutura histológica da pineal parece ter similaridades evolutivas com células da retina de cordados. Poderíamos dizer, portanto, que em termos da constituição física da estrutura cerebral, a Pineal seria como um “terceiro olho”, que utiliza da luz captada por nossos olhos. 

Glândula Pineal em Animais

A Glândula pineal esta presente em praticamente todos os seres do Reino Animal, inclusive nos peixes e anfíbios. Pesquisas comprovam que aves e répteis modernos possuem o pigmento fototransdutor melanopsina na glândula pineal.

Acredita-se que as glândulas pineais de aves possam funcionar como os núcleos supra-quiasmáticos em todos os mamíferos. Estes núcleos são os responsáveis pelo monitoramento de todo o ciclo biológico do animal.

Localização da glândula pineal em um porco.

Localização da glândula pineal em um porco.

Relatos em roedores sugerem que a glândula pineal pode influenciar a ação de drogas como a cocaína e antidepressivos como a fluoxetina; e pode também contribuir na regulação da vulnerabilidade neuronal a lesões. 

Funções da Glândula Pineal pela Ciência Psicobiofísica

Segundo Dr Sérgio Felipe a Psicobiofísica é a “ciência que integra a psicologia, a física e a biologia. Na biologia, estudamos o lobo frontal, responsável pela crítica da razão. Mas o cérebro funciona eletricamente – aí entra a física, que serve de substrato para o pensamento crítico, que é o psicológico.” O Dr Sérgio Felipe defendeu seu mestrado, em 1998, com pesquisa intitulada “Estrutura da Glândula Pineal Humana”, e desde lá, tem se dedicado ao tema.

Esta área da ciência procura estudar (não refutar) e compreender os fenômenos metafísicos, bem como as experiências de “quase morte”, e as manifestações psico-sensoriais expressas pelas mediunidade. E é aí que a glândula pineal figura-se como protagonista.

Pesquisadores já sabem que a Glândula Pineal funciona como uma antena, sintonizando e capturando as radiações e campos eletromagnéticos e os convertendo em estímulo neuroquímico. Este fato é sabido há um bom tempo. Em 11/dezembro/1980, a revista Nature publicou artigo de Vollrath e Semm que tratava justamente da capacidade da pineal de converter ondas eletromagnéticas em estímulos neuroquímicos. (ver aqui para ver o artigo)

Portanto, se considerarmos esta premissa, a radiação emitida pelos astros, como a Lua e o Sol, pensamentos e qualquer outro emissor de eletromagnetismo influenciam diretamente o funcionamento da Glândula Pineal, e consequentemente, de nosso corpo.

Também podemos compreender a regulação do ciclo menstrual conforme as fases da lua, a orientação dos pássaros em suas migrações e os fenômenos mentais como clarividência, telepatia e telesinese.

Para o Dr Sérgio Felipe “a pineal é um sensor capaz de ‘ver’ o mundo espiritual e de coligá-lo com a estrutura biológica. É uma glândula, portanto, que ‘vive’ o dualismo espírito-matéria. O cérebro capta o magnetismo externo através da glândula pineal”.

Com esta premissa, poderiamos compreender melhor a essência por detrás de estudos como a Astrologia, o “poder da fé”, e as experiências mediúnicas, afinal nós realmente captamos e interpretamos de diversas maneiras as radiações advindas dos universos invisíveis da matéria.

Para exemplificar o funcionamento da Glândula Pineal, podemos citar experiências muito comuns como sentir que alguém está olhando para você (mesmo estando de costas), pensar na pessoa e ela ligar, ou no sentimento de paz e harmonia no momento de meditação ou oração.

As pesquisas do Dr Sérgio Felipe sugerem também uma íntima relação entre pacientes com epilepsia, esquizofrenia e experiência mediúnicas e a constituição da glândula pineal no indivíduo.

Foi observado também que as pessoas que apresentam glândulas pineais menores, apresentam maior pré-disposição a experiências extracorpóreas, já as pessoas com pineal maiores, apresentam maior capacidade mediúnica.

Para que você possa compreender de forma mais abrangente e detalhada a respeito do funcionamento da glândula Pineal, e compreender melhor a história e pesquisas do do Dr Luiz Felipe de Oliveira, vale muito a pena ver o vídeo abaixo:

 

A Glândula Pineal e os Cristais de Apatita

Pesquisas comprovaram que a pineal forma cristais de apatita nos espaços intercelulares da pineal, também conhecido como areia cerebral ou corpo arenáceo” (leia artigo aqui).

Presença de Cristais de Apatita na Glandula Pineal

Presença de Cristais de Apatita na Glandula Pineal

Por meio de pesquisas, foi constatado que não existe um padrão nas pessoas em relação a quantidade de cristais na Pineal, e que as pessoas que possuem muitos desses cristais apresentam maior facilidade para seqüestrar campos eletromagnéticos.

Como diz Dr Sérgio, essas pessoas “tem mais facilidade de incorporar ao seu campo as informações do mundo mental de outrem”. Isso ocorre, pois estes cristais de apatita vibram de acordo com as ondas eletromagnéticas que captam.

Este fato é interessante, uma vez que sem os cristais não seria possível produzir relógios, computadores, Telefones sem fio, telefones celulares, instrumentos de medida de diversos tipos, walk-talkies, televisores em cores, videocassetes, DVDs e muitos outros materiais.

Cristal de Apatita encontrado na natureza.

Cristal de Apatita encontrado na natureza.

A função dos cristais (nestes casos, de quartzo) nestes produtos é estabilizar, definir e interagir com freqüências eletromagnéticas. Exatamente como sugere as pesquisas em relação a atuação da glândula pineal em nosso cérebro.

Em nosso corpo, os cristais de apatita desempenham papel importante também na formação dos dentes e ossos. E sua constituição química é muito parecida com a constituição dos dentes e dos ossos e, por este motivo é também susceptível a produtos químicos que possam interferir na matriz mineralizante de qualquer parte do organismo humano que contenha esta mesma constituição química.

Esta é a parte preocupante porque com o uso indiscriminado do Flúor, a pineal poderia sofrer danos interferindo em suas diversas funções, principalmente na função referente ao desenvolvimento de nossas habilidades mentais, impossibilitando ou dificultando o salto que os seres humanos precisam dar para sua evolução.

 A Glândula Pineal e a Nova Era           

O chamado “despertar de consciências” está intimamente ligado a Glândula Pineal. Afinal, a forma como recebemos e interpretamos esta nova consciência é justamente por meio das freqüências e vibrações eletromagnéticas emitidas pelos sóis, astros e energias que a ciência não consegue explicar. É sabido que os buracos negros localizados no centro das galáxias são os principais emissores de radiação eletromagnética, e que essas freqüência é também emitida pelos fótons nos sóis de cada galáxia.

E está justamente nestas radiações do universo o entendimento do real significado do termo “Nova Era”, ou, como diriam os Maias, de um Novo Ciclo. Este termo, em essência, se refere ao início de um novo tipo de freqüência que estamos recebendo do universo.

Todas essas informações do universo são captadas e interpretadas por este “processador quântico” que é a Glândula Pineal.  Portanto, mesmo que a pessoa esteja preparada espiritualmente é preciso que sua Glândula Pineal esteja saudável. Para exemplificar, seria como querer fazer o carro funcionar com um motor completamente sujo e comprometido.

Com o desenvolvimento da pineal por meio da meditação, alimentação e o cultivo de vibrações superiores como do amor no dia-a-dia, é possível experienciar uma verdadeira integração entre corpo, mente e espírito, por meio da sintonização da Consciência Cósmica. Além de contribuir para uma melhor compreensão dos chamados “fenômenos paranormais”, como clarividência, telepatia e a mediunidade.

É urgente compreendermos a atuação da Glândula Pineal em nossas vidas e, consequentemente, os fenômenos mentais, energéticos e espirituais que constituem a nossa realidade humana.

Em um próximo post, irei abordar as fontes de toxidades da glândula Pineal em nosso cotidiano (que são muitas, inclusive na água que bebemos), e como é possível recuperar, purificar e preservar as estruturas desta estrutura tão importante para a nossa saúde física, mental e espiritual.

A evidência irrefutável de uma comunicação extraplanetária

Recentemente cientistas e pesquisadores, especialmente ufólogos e astrônomos, se surpreenderam com a imagem que apareceu nos campos de plantação dos arredores do Observatório de Chilbolton, que desenvolve pesquisas atmosféricas e de rádio.

comunicacao extra terrestre

Localizado na borda da aldeia de Chilbolton perto de Stockbridge, em Hampshire , na Inglaterra. As instalações são administradas pelo STFC Unidade de Pesquisa Rádio Comunicações do Laboratório Rutherford Appleton e fazem parte do Conselho de Intalações para a Ciência e Tecnologia da Inglaterra.

Como negar?

A não ser que existam pessoas ordenadas com uma inteligência fenomenal fazendo milagre há varios anos para construir essas imagens extraórdinárias da noite para o dia, este fato é verídico e inegável. Digo “milagres”, pois a ciência já comprovou alterações eletromagnéficas na região e outros fenômenos estranhos como o celular não funcionar e coisas do tipo.

Não preciso falar mais nada….o vídeo diz tudo. Veja e tire suas próprias conclusões.