A transição planetária da mente para o coração

Existe um profundo despertar acontecendo neste momento no mundo.

A transição da mente para o coração. Do raciocínio para o sentimento sincero. Do masculino para o feminino. Do “eu” para o “nós”. Do “Poder Sobre” para o “Poder Com”.

Este grande grande impulso para o autoconhecimento e a transformação de visão de mundo está conduzindo a humanidade para uma cultura pautada no amor, cooperação e cocriação de ações.

Mas o periodo que vivemos é de transição. E para evolução é preciso deixar para trás todas as limitações do passado. Estamos colhendo o que plantamos como civilização e como civilização estamos vivenciando a “noite escura antes do alvorecer”. As sombras e tudo que estava oculto em nosso interior e em nosso coletivo (família, países, comunidades) está sendo colocado às vistas, tudo está se transformando.

E este processo é vibracional. Todo nosso sistema solar está se dirigindo rumo as áreas mais “energeticas” da galáxia, mais próximo de seu núcleo. Assim como afirmou Nikola Teria ao dizer “se quiser compreender sobre você quiser descobrir os segredos do universo pense em termos de energia, frequência e vibração’, o que estamos vivenciando é a transição para uma oitava acima na escala vibratória, como as notas musicais, estamos passando um tom. Nosso planta está entrando em um novo nível vibracional.

Entraremos nos tempos de aprendizados sobre o Amor. Mas antes, passar a transição de um ciclo de aprendizados ainda sobre a “autopercepção”. Antes do ciclo do Amor é preciso ter consciência da essência “divina/onisciente’ que existe no interior de nossos corações. A consciência da unidade que existe em todas as diferenças.

É tempo de prepararmos o mundo para um novo ciclo de regeneração pelo amor. A única bússola que podemos seguir pelo coração, pela nossa consciência.

Ouça a voz de seu coração.

O que o seu coração pede que faça para o bem de sua vida e de todos que ama neste momento? Como você pode ser um ponto de luz e esperança mesmo diante de tantas notícias de caos?

A sociedade do amanhã pode ser incrível. Mas como superar a transição?

O mundo do amanhã pode ser incrível! Todos nossos confortos e conquistas da vida moderna, porém de forma inteligente, adaptada e sustentável.

A liberação de patentes (Toyota acabou de liberar mais de 24.000 patentes como também liberou a Tesla Motor) é um dos prenúncios mais importantes desta nova realidade de nosso possível futuro breve. Um Tempo em que soluções criativas em todos os níveis farão parte do cotidiano das cidades e comunidades rurais.

Motores que são movidos pelos elementos que compõe a água (hidrogênio / oxigênio), geradores magnéticos e até pneus que geram energia e despoluem o ar já existem e estão cada dia mais fortes. (veja esta solução apresentada pela Goodyear em 2018: https://www.regeneracaoglobal.com/solucao/359)

Estradas conectadas com smartphones para avisar sobre trânsito, acidentes, chuva ou serviços e comodidades. Prédios integrados para sistemas inteligentes que controlarão desde a iluminação, ar condicionado até avisos sobre manutenção e necessidade de melhorias.

Por mais que tudo pareça ficção científica, é realidade em muitas comunidades e frentes independentes pelo mundo, muitas soluções consideradas “incríveis” para a vida cotidiana, já se estabeleceram nesses lugares e estão expandindo. Atualmente possuímos mais de 10 bilhões de objetos conectados à Internet, e projeções dizem chegar a 50 bilhões até 2020. Até árvores, mesas e colchões estão enviando informações em tempo real para melhor utilização, estudo e pesquisa de novas tecnologias e inovações.

O ponto da virada

A grande questão não é se teremos esta realidade no futuro, mas sim se conseguiremos realizar a transição de forma equilibrada e colaborativa.

Para que o mundo de soluções disruptivas e “opensource” (livres para cocriação) floresca e se estabeleça será preciso uma profunda transformação nos conceitos e direitos estabelecidos pelo atual modo de produção.

Um dos possíveis primeiros (e mais complexos) passos seria o estabelecimento, de algum modo, que todos os recursos naturais e localidades essenciais para os ciclos terrestres sejam considerados bem de toda humanidade, e geridos de forma cooperativa entre muitas frentes do mundo com apoio de soluções em alta tecnologia para mapeamentos e medições.

Todo “modus operanti” do sistema atual deverá ser atualizado. Os sistemas descentralizados da atualidade não fazem mais sentido na sociedade digital em que vivemos. Apenas a dinâmica e funcionamento em rede distribuída, como as mídias sociais permitem, é capaz de gerar um sentido de consenso a nível complexo que a sociedade exige. Todos devem participar e se sentir parte das soluções. Apenas a tecnologia pode oferecer esta possibilidade a nível global.

Algumas tecnologias já disponíveis (ou em estágio inicial) serão as bases desta nova “sociedade regenerativa”. A Computação quântica, a tecnologia/conceito que está sendo chamado de “Holochain” e as redes de Inteligência Artificial integrada estarão presentes em praticamente todos os sistemas para macro e micro gestão dos sistemas terrestres e da relações entre a sociedade humana.

Desde as pequenas comunidades em meio a florestas até os maiores centros urbanos estarão integrados nesta grande base de conhecimento sobre os sistemas do planeta Terra e os impactos da ocupação humana. Nossas decisões serão auxiliadas pelas análises em tempo real de zilhões de dados sobre o meio ambiente e a sociedade humana.

Mas tudo isso só se tornará realidade se a humanidade, se nós, com nossas diferentes culturas ESCOLHERMOS o caminho da cooperação, cocriação e transparência absoluta em todas as relações produtivas. De empresas, até as famílias e profissionais de governos, todos terão a chance de fazer a escolha entre o caminho da competição, individualismo e medo ou o caminho da coletividade, confiança e senso de cooperação. Isso já esta acontecendo. E a todo momento somos conduzidos a escolhas entre o “eu” e o “nós”, entre o “ter” e o ser”. Estas decisões individuais, somadas, definirão nosso futuro como humanidade.

Para realmente alcançarmos este novo “mundo regenerativo”, em uma transição com equilíbrio, teremos que aprender sobre a essência mais importante deste amanhã: a COOPERAÇÃO. 🙂

Todas as soluções ja existem. Iremos evoluir ou silenciar o novo?

Carro movido a água salgada. Criado na Suíça, testado por mais de 10mil quilômetros e já no 3º modelo. Sistema de captação e armazenamento de água no deserto, que cria um grande iceberg sobre a areia quente com energia solar e nanotecnologia. Solução para regeneração de águas capaz de reverter, sem química, até mesmo as água afetadas pelo barro tóxico das mineradoras. Tudo isso já testado, validado e já disponível.

É incrível constatar que vivemos em uma sociedade primitiva em relação às próprias soluções que já existem e estão disponíveis para serem multiplicadas pelo mundo. É como se estivéssemos escolhendo por livre e espontânea vontade o caminho do insustentável, da escassez, da extinção.

Diante de soluções fantásticas e de livre acesso, o dinheiro faz sucumbir o progresso na estratégia de negócios da compradora, com a elogiada estratégia monopolista. A cada nova crise, mais concentração de poder e renda nas mãos de pouquissimos (apenas 8 pessoas já possuem mais que 50% da população – 4 BILHÕES de pessoas).

A constatação de enorme desequilíbrio nos demonstra a inerente incongruência deste modelo. Isso não pode ser o melhor que podemos fazer como raça humana! Mais de um BILHÃO de pessoas sem água nem alimento para viver, mesmo com produção de alimentos maior que o consumo. Nós ainda queimamos alimentos quando produzimos muito para não “desvalozirar” o produto. Isso não pode ser normal nem gerar conformismo.

É como um sistema que aprisiona a humanidade aos mesmos valores que criaram a revolução industrial, mesmo ela já não se aplicando mais a realidade de hoje. Nem Karl Marx, nem Adam Smith, nem
John Locke ou qualquer outro pensador que formou a base conceitual da nossa sociedade jamais podiam imaginar (e nem prever) o advento da internet e a sociedade ultraconectada com as mídias sociais, dando voz e poder para qualquer pessoa com uma informação de valor.

O desafio agora é evoluir do “PODER SOBRE” para o “PODER COM”. Um novo modo de produção mais baseado na cooperação que na competição, na coletividade ao individualismo. Precisamos atualizar o sistema que rege a metodologia de funcionamento do dinheiro, pois esta é a essência da sociedade primitiva e absolutamente insustentável em que vivemos. Tudo se justifica pelo crescente lucro e resultados aos “steakholders”. Tudo mesmo.

Como em um filme de drama, nosso roteiro não permite muito tempo para realizarmos esta complexa e profunda mudança.

Segundo a ONU e estudos independentes, o clima da Terra já está em “território desconhecido”, ou seja os fatos atuais já não têm paralelo desde o início das medições. São centenas de indicadores em recordes históricos. .. da mudança de acidez e temperatura dos oceanos as alterações de chuvas/secas, cobertura de gelo, extinção de animais essenciais e gases na atmosfera.

Estamos testando os limites de nosso magnífico e abundante planeta ao extremo, mesmo ja possuíndo as soluções necessárias para uma nova sociedade.

Até quando?

No amanhã, depois da transição, este período de curtíssimo prazo onde grandes e definitivas mudanças ocorrem, qual sociedade teremos? Uma humanidade de Regeneração, agindo em coletivos e compartilhando tecnologias e soluções, ou uma humanidade de Extinção, agindo por interesses próprios e monopolizando soluções?

As respostas ninguém têm. Mas como seres participantes deste momento, o chamado é para agir de alguma forma para lidar com tudo isso. Cada um a sua maneira, em seu porte e relevância… Criando, fazendo e acreditando que é possível transformarmos este mundo primitivo de ganância e individualismo em uma sociedade regenerativa de cooperação.

Como diz o conselho de Steve Jobs, um dos maiores líderes dos nossos tempos: “Tenha coragem de seguir o que seu coração e sua intuiçâo dizem. Eles já sabem o que você realmente deseja. Todo resto é secundário.”

Portanto, sintonize sua intuição, medite, e contribua ativamente para a adoção de novos comportamentos e hábitos que sejam mais integrados com o seu interior. Encontre a sua verdade, a sua bússola para a evolução.

Pra começar, basta um sorriso sincero ao próximo doar.
O que hoje faz chorar, amanhã lembrará sobre o valor do Amar.

LINKS

A intensificação dos fenômenos climáticos e a necessidade de uma nova sociedade

Temos visto e cada dia mais vivenciado a intensificação dos fenômenos climáticos em nossas cidades. Recordes de 30, 60, 90 anos são ultrapassados a cada instante de nossa realidade.
 
Com o avanço tecnológico dos instrumentos de medição hoje sabemos de milhares de formas que o planeta está sendo fortemente impactado pela atividade humana.
 
Nosso modo de viver como civilização é absolutamente primitivo e nocivo aos ciclos naturais deste Planeta. É inadmissível a continuidade destes processos, se quisermos evoluir em harmonia, e não destruição e sofrimentos.
 
Na base de tudo esta a CULTURA CIVILIZATÓRIA, que é o último, e mais desafiador, aspecto da transição de sistema de uma sociedade.
 
Esta cultura de consumo, competitividade, individualismo, concentração, exibição, ostentação são absolutamente contrários do sistema que teremos que adotar para superarmos estes desafios que se apresentam.
 
Infelizmente, a humanidade já depende das soluções tecnológicos para regenerar os impactos que continuam se multiplicando, ao invés de ja deverem estar controlados. Ou seja, deverá haver PROATIVIDADE individual e coletiva para regeneração dos ciclos naturais que estão sendo massacrados pelo poder do dinheiro e da incessante necessidade de crescimento das civilizações humanas.
 
Não será fácil, pois o nível é crítico e a teimosia e egoísmo dos líderes mundiais atuais é grande, mas será imensamente possível conforme a mobilização global se intensifica, e as ações individuais se tornarem coletivas.
 
Em 10 anos será possível revertar 100 anos de destruições, o que causará grande impacto em uma geração inteira, que verá o poder e os benefícios das ações positivas e da sustentabilidade absoluta em todos os processos.
 
Crescimento descontrolado é câncer. E é exatamente isto que representa a humanidade atual. Portanto, reduzir impactos e reutilizar recursos é tão (ou mais) importante que reciclar.
 
Uma nova consciência está surgindo e se consolidando entre os que buscam respostas e o autoconhecimento. Coletivos e comunidades estão formando intensas correntes amorosas e regenerativas.
 
Afinal, após bilhões de anos de evolução, é isso que somos capazes de fazer? Destruir nosso próprio planeta?
 
O chamado é grande para ação. Quais atitudes sustentáveis você está promovendo em seu dia-a-dia?
Se a humanidade fosse seguir seus hábitos, como estaríamos?
 
A mudança exigirá sair completamente da zona de conforto. E isso será motivo de guerra para muitos que ainda estarão presos aos velhos sistemas de crenças e cultura.
 
Ousar. Fazer. Tentar. Acreditar. Desafiar. Respeitar. Transformar. São todas palavras-chave para os novos tempos se tornarem realidade. E, todas elas, sob uma única essência: Amar.
 
Levanteis os que acreditam!
É HORA DE AGIR!

A transição para uma sociedade cooperativa

As bases tradicionais da nossa sociedade estão se desmantelando com a velocidade das conexões e a infinita cocriação que a rede permite. Nossos países, empresas e famílias já são dependentes da internet nesta era da comunicação.

Estamos entrando em uma sociedade aberta, cooperativa, com projetos e estratégias que permitem verdadeiramente a participação e cocriação das pessoas.

Compartilhar resultados, inspirar pelo exemplo e realmente se importar com as pessoas. Este é o caminho que marcas (e pessoas) serão cada dia mais incentivadas a escolherem.

Como os navegadores do sec XVI, não sabemos ao certo onde iremos desembarcar ou se até descobriremos uma nova terra desconhecida, mas é certo que navegar em novos mares é preciso.

Vivemos os tempos MUTÁVEIS, onde o foco e chamado é para se desprender dos antigos sistemas e metodologias e criar o novo de todas as formas e maneiras.

Assim como a internet, iphone e centenas de invenções que transformaram a sociedade, estamos nos anos que precedem uma nova descoberta transformadora. Ainda não sabemos da nova soluções que em breve irá ser apresentada/compreendida, mas sabemos que este é sempre o destino da Natureza quando algo precisa se reequilibrar.

Precisamos parar de colocar tanta energia em discutir e conhecer os nossos infinitos problemas e injustiças! É tempo de FOCO NAS SOLUÇÕES, nas propostas, ideias e iniciativas que podem nos levar a uma nova forma de viver, em maior equilíbrio.

Não compartilhe o que é negativo. Não amplie estas egrégoras de dor. Compartilhe apenas as soluções e os novos caminhos que favorecem nossa sociedade e a nossa cura e autoconhecimento individuais.

Tudo esta conectado. Você está cocriando o futuro da humanidade. Somos todas células de um mesmo organismo vivo chamado Terra.

 

UM GRITO PELAS SOLUÇÕES!

Vivemos os intensos anos da transição, e temos milhões de motivos para a desesperança e desespero.

Porém, sob o véu das notícias e da política, centenas de coletivos e milhões de consciências estão se unificando na motivação de ser um agente positivo para a humanidade.

Este movimento tem transformado profundamente as possibilidades de milhões de pessoas que agora já podem vivenciar realidades sustentáveis, e mudar a forma de educar e crescer em comunidade.

Escolas com estudo militarizadas em tempos de smartphone e Google?Condomínio de pessoas desconhecidas em tempos de colaboração e resgate do senso de comunidade? Supermercados industriais com agrotóxicos, em tempo de agroecologia e alimentos orgânicos?

Tudo isso pode ser superado com as soluções que já existem e possibilitam viver com hábitos muito mais inteligentes, eficientes e sustentáveis.

Nem esquerda, nem direita: para frente. Admitir e aproveitar o que há de melhor em todas as linhas criadas com a capacidade humana. Nunca existirá uma solução definitiva, mas sim uma rede de pequenas ações positivas.

Para que isso aconteça precisamos colocar nossa energia a favor das soluções, dos exemplos e oportunidades que existem. Continuar com o foco nos inúmeros problemas que criamos não nos levará a lugar algum (e só aumentará a sensação de medo e inconformismo).

Vivemos os tempos em que “uma grama de ação vale mais que uma tonelada de teoria”.

Chegou a hora dos guerreiros sem armas se revelarem. Os portadores da Luz advinda da decisão interior pela regeneração da paz, do equilíbrio e do amor no mundo.

Conheça abaixo uma iniciativa que nasceu com este propósito:

https://youtu.be/UpH7hIr_goM

Conheça a biblioteca de soluções:

http://www.regeneracaoglobal.com

A era dos carros elétricos e os 3 riscos que temos que evitar

Finalmente. Os veículos elétricos logo estarão por todo mundo. Porém, observando as notícias e estratégias comerciais, percebi grandes riscos se continuarmos neste caminho e por isso escrevo para tentar contribuir com a conscientização de importantíssimo tema para a humanidade.
1º Risco/Oportunidade: O melhor caminho para nossa civilização não é produzir novamente toda a frota global em carros elétricos.
Já temos 1 BILHÃO de veículos produzidos e o custo energético para produção de um carro é absurdo! Por exemplo, são necessários 400.000 litros de ÁGUA para produção de um carro. Nosso planeta não aguentará esta carga.
Portanto, o melhor caminho é a adaptação dos carros atuais primeiramente para híbridos (gasolina/elétrico) e, depois 100% elétrico. Como atualmente existe com Gás.
2º Risco/Oportunidade: Temos que avançar e apoiar as pesquisas para parar o mais rápido possível de usar Baterias de Lítio. Além de caro e pesado, este minério é ainda mais escasso que o petróleo e está nas mãos de pouquíssimos países (por sinal, curiosidade, o Afeganistão abriga um dos maiores reservatórios de lítio do mundo…).

Outro ponto adicionado por Fábio Makita, engenheiro dedicado a projetos de inovação, após a publicação deste texto, é no fato da periculosidade das baterias de Lítio. Todas elas são como “bombas” e oferecem risco real de explosão. Exige conhecimento mais avançado para manusear. Imagine a popularização Desa tecnologia com mecânicos sem treinamento adequado fazendo manutenção em toda a frota?

A solução que já existe e avança em centros de pesquisa são as baterias de Grafeno (criadas a partir do Carbono, material mais abundante do Planeta Terra) ou as orgânicas (que eliminam metais). Elas têm potencial para serem baratíssimas, leves, acessíveis e totalmente sustentáveis.
3º Risco/Oportunidade: Temos que parar de apoiar/aceitar esta ideia de ABASTECER carro elétrico! Isso serve apenas para manter o sistema de controle e vigilância da sociedade e perpetuar o paradigma da escassez de combústivel, obrigando as pessoas a irem periodicamente a lugares definidos e pagar pela carga. Já existem INÚMERAS tecnologias para carregamento das baterias pelo movimento das rodas, pintura do carro, vento do radiador, etc.
Portanto, devemos batalhar por carros elétricos autosustentáveis energeticamente, que deem total liberdade e autonomia às pessoas.

Proposta de Triciclo elétrico para duas pessoas que está sendo desenvolvido no Estado de São Paulo pela empresa Samp Motors.

Enfim, as tecnologias para todos esses 3 pontos já existem e avançam rapidamente, mais ainda não foram colocadas em escala industrial. As grandes pressões estão cedendo e teremos tudo para a fazer a transição para a tecnologia de transporte elétrico com sabedoria e menor custo ao planeta. Mas acredito que nestes 3-5 primeiros anos ainda veremos a perpetuação do mesmo sistema que temos que transformar.
Vamos acompanhar e agir para este desenvolvimento! 🙌🌎