Novo estado dos EUA impõe restrições ao principal herbicida da Monsanto

O Tennessee tornou-se o quarto estado a impor restrições ao principal herbicida da Monsanto, o Dicamba.

Os agricultores do estado afirmaram que o herbicida se expalhou para fazendas vizinhas, danificando as culturas que não foram geneticamente modificadas para suportá-lo.

O Tennessee segue o estado de Arkansas, Missouri e Kansas, mantendo a gigante global Monsanto como a responsável pelos danos ambientais. Dicamba é o principal ingrediente dos herbicidas produzidos pela Monsanto, BASF e DuPont para uso em soja e algodão que foram geneticamente modificados para tolerar o produto químico. A Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA) aprovou o dicamba como seguro para uso em 2016 contra ervas daninhas de folhas largas.

Apesar de sua suposta eficácia, os agricultores do sul dos Estados Unidos dizem que o dicamba custou aos seus vizinhos milhares de dólares em colheitas perdidas devido à sua derrapagem para as fazendas vizinhas. Diversas ações judiciais já foram movidas contra produtores de dicamba. Um fazendeiro em Wyatt, Missouri, Hunter Rafferty, disse à Reuters: “Nós tivemos danos em quase todos os acre de soja que cultivamos no sudeste do Missouri. Na nossa pequena cidade, as azáleas, as plantas ornamentais, as pessoas perderam suas hortas. É um grande problema.

De acordo com Rafferty, 3.000 a 4.000 acres de soja em sua fazenda da família foram comprometidos por causa do dicamba à deriva. Ele diz que as folhas das plantas se contraíram em formas semelhantes a taças – um sinal de alerta de que as sementes de soja foram de alguma forma alteradas.

Aparência das folhas que recebem Diacamba.

A Monsanto rejeitou essas alegações como divagações de agricultores sem instrução. Eles insistem que esses são desafios enfrentados por toda e qualquer estratégia de adoção antecipada. Representantes da Monsanto compararam a contaminação cruzada a dores de cabeça semelhantes enfrentadas pela empresa quando lançou as culturas resistentes ao glifosato Roundup Ready há 20 anos; uma situação que foi “consertada” mesmo quando os relatórios recentes sugerem o contrário. (saiba mais em: Monsanto: História de Contaminação e Encobrimento.)

“Em quase todas as tecnologias no primeiro ano há problemas que você precisa resolver”, disse Robb Fraley, diretor de tecnologia da Monsanto, em resposta às ações judiciais do dicamba.

Fraley se une aos porta-vozes da BASF e da DuPont que implicam o manuseio inadequado, ao invés de questões químicas inerentes, como a causa das colheitas danificadas. Ele diz que os fazendeiros não seguem os rótulos das aplicações, usam equipamentos contaminados e até mesmo compram formulações mais antigas do herbicida para economizar nos custos, mas que são mais propensos à deriva. No entanto, ele disse que a Monsanto irá procurar salvaguardas adicionais para o uso do produto.

Dicamba foi desenvolvido para combinar com sua linha Xtend de soja e algodão que foram projetados para lidar com o herbicida. A linha destinava-se a substituir produtos anteriores que continham apenas glifosato. Em 1970, a Monsanto introduziu culturas resistentes ao glifosato para combater o rápido crescimento de ervas daninhas destruidoras de plantas.

No final do ano passado, a Monsanto apresentou sua nova formulação de dicamba, comercializada como XtendMaxTM. O herbicida foi relatado como de baixa volatilidade, o que a empresa descreveu como sendo menos propenso a se tornar mais flexível, e intrigante, mais capaz de “maximizar o potencial de produção”. Em seu comunicado oficial, a Monsanto projetou mais de 15 milhões de Roundup. Pronto 2 Xtend acres de soja, bem como três milhões de acres de algodão Bollgard II XtendFlex até o final de 2017.

Essas estimativas podem não se concretizar, no entanto, dadas as últimas restrições impostas pelo Tennessee. Parte destas diretrizes incluem permitir a aplicação apenas das 9h às 16h e proibir o uso de formulações dicamba mais antigas.

O comissário de Agricultura do Tennessee, Jai Templeton, disse: “Estou confiante de que podemos resolver esse problema, como em outros casos, para garantir o uso seguro e eficaz dessas ferramentas”.

Fontes:

NatualNews.com

Reuters.com

News.Monsanto.com

BusinessInsider.com

CEN.ACS.org

UM GRITO PELAS SOLUÇÕES!

Vivemos os intensos anos da transição, e temos milhões de motivos para a desesperança e desespero.

Porém, sob o véu das notícias e da política, centenas de coletivos e milhões de consciências estão se unificando na motivação de ser um agente positivo para a humanidade.

Este movimento tem transformado profundamente as possibilidades de milhões de pessoas que agora já podem vivenciar realidades sustentáveis, e mudar a forma de educar e crescer em comunidade.

Escolas com estudo militarizadas em tempos de smartphone e Google?Condomínio de pessoas desconhecidas em tempos de colaboração e resgate do senso de comunidade? Supermercados industriais com agrotóxicos, em tempo de agroecologia e alimentos orgânicos?

Tudo isso pode ser superado com as soluções que já existem e possibilitam viver com hábitos muito mais inteligentes, eficientes e sustentáveis.

Nem esquerda, nem direita: para frente. Admitir e aproveitar o que há de melhor em todas as linhas criadas com a capacidade humana. Nunca existirá uma solução definitiva, mas sim uma rede de pequenas ações positivas.

Para que isso aconteça precisamos colocar nossa energia a favor das soluções, dos exemplos e oportunidades que existem. Continuar com o foco nos inúmeros problemas que criamos não nos levará a lugar algum (e só aumentará a sensação de medo e inconformismo).

Vivemos os tempos em que “uma grama de ação vale mais que uma tonelada de teoria”.

Chegou a hora dos guerreiros sem armas se revelarem. Os portadores da Luz advinda da decisão interior pela regeneração da paz, do equilíbrio e do amor no mundo.

Conheça abaixo uma iniciativa que nasceu com este propósito:

https://youtu.be/UpH7hIr_goM

Conheça a biblioteca de soluções:

http://www.regeneracaoglobal.com

Vitamina B12 é encontrada em plantas pela primeira vez

Para quem não come carne, sempre existiu a preocupação com a ingestão da vitamina B12, que até então, era consenso da comunidade científica que a vitamina só era encontrada em produtos de origem animal. Entretanto, um estudo de equipe de pesquisadores da Universidade de Kent (link da pesquisa), na Inglaterra, descobriu recentemente que uma erva comum, o agrião, pode ser usada para prevenir a deficiência de cobalamina (vitamina B12).

Os resultados, publicados na revista científica Cell Chemical Biology, revelam que a vitamina está prontamente disponível nas folhas de agrião após a planta crescer em um meio de desenvolvimento fortificado. Importante frisar que não são os animais que produzem a vitamina, mas sim bactérias, que são ingeridas ou vivem nos organismos dos animais. Portanto é facilmente sintetizada em laboratório sem utilizar insumos animais.

Escolheram uma escola de ensino fundamental, na qual os jovens cultivavam agrião. As plantas cresceram em um ambiente fortificado com vitamina B12, mas apenas externamente; nada foi injetado nas plantas. Após 7 dias, as folhas foram removidas e analisadas em laboratório, e a presença de B12 foi confirmada. O experimento foi repetido com outra variação da cobalamina, e, novamente, foi observada a vitamina no agrião. A absorção e transporte de B12 por plantas foi comprovada.

Anteriormente, pensava-se que o B12 fosse produzido principalmente por certas bactérias intestinais presentes em animais. “Essa descoberta pode ser uma importante maneira de enfrentar o desafio global de fornecer uma dieta vegetariana completa e nutritiva”, afirmam os pesquisadores, “um desenvolvimento valioso à medida que o mundo se torna cada vez mais livre de carne devido à expansão populacional”.

A vitamina B12 é essencial ao organismo humano. Sua deficiência pode causar dormência nos membros, dificuldades de memória, fadiga, problemas severos no sistema nervoso, dentre outros, dependendo da gravidade da insuficiência nutricional. Existem outros animais que também necessitam de B12 em seu corpo, mas os métodos de absorção são diferentes; alguns deles, como os bovinos, mantém relação harmoniosa com as bactérias de seu trato intestinal, que produzem a cobalamina, sendo mais tarde absorvida pelo seu próprio corpo. Infelizmente, o ser humano não consegue manter a mesma relação, e precisa ingerir o nutriente. As nossas bactérias produzem também a B12, mas o local de absorção em nosso cólon impossibilita a infiltração pelo que foi produzido diretamente dentro do organismo.

Talvez, em algum futuro próximo, plantas possam se tornar fontes confiáveis de vitamina B12, e a necessidade dos suplementos desapareça. A expansão de uma dieta vegetariana se torna cada vez mais viável, em qualquer situação. Os pesquisadores completam:

“uma descoberta valiosa à medida que o mundo se torna cada vez mais livre da carne”

 

Fontes:

Os fenômenos naturais como recurso de purificação do planeta

Temos visto grandes destruições causadas por fortes chuvas após o carnaval. Mas será que existe alguma relação entre a intensidade do fenômeno e a energia gerada nesta data festiva?
Cada vez mais, a ciência quantica descobre que todos os fenômenos físicos (aí sem incluem os meterológicos) são influenciados pela psicosfera gerada pelas pessoas em uma localidade. Ou seja, nossos pensamentos, sentimentos e ações interferem diretamente nos acontecimentos a nosso redor.

As evidências em nosso planeta sugere que  quanto maior o desequilíbrio, mais intenso serão os fenômenos naturais.

O Carnaval, apesar de celebrar a alegria para muitos, também representa para muitos o desequilíbrio total e absoluto sobre nossos pensamentos, sentimentos e ações, a oportunidade de agir sem pudor ou respeito ao próximo. E tudo isso gera uma gigantesca egrégora energética que precisa ser limpa para não crescer e se espalhar pelas mentes dos habitantes locais.

A água é um dos elementos-base do nosso planeta e oferece excelente capacidade de limpeza energética e física de uma localidade. É o mesmo efeito que sentimos ao limparmos a nossa casa com água. Não adianta apenas varrer.

Enquanto não conseguirmos criar relações positivas, harmônicas e prósperas para a vida ao nosso redor, sempre veremos crescer a força e magnitude dos fenômenos naturais de auto-regulação de nosso Planeta..

Tudo está conectado. Nossa influência sobre o planeta vai muito além das evidências físicas.

Época de Grandes Transformações

Estamos entrando na etapa de grandes transformações físicas e psicológicas para todos que habitam este planeta. O planeta terá que se adaptar às novas frequências de energia que está recebendo.

Os fenômenos naturais atuam como “liberadores de energia”, um mecanismo de auto-regulação do planeta diante do aumento da vibração de sua matéria.

Veja um exemplo a notícia abaixo, sobre a liberação de energia elétrica em terremotos, que provoca a ionização da atmosfera, e portanto, uma espécie de Aurora boreal se manifesta. Um fenômeno relatado desde 1600. Energia em movimento.
-> http://g1.globo.com/…/o-que-eram-os-misteriosos-flashes-de-…

Pense na intensidade de energia que foi liberada nestes acontecimentos para ser visto por milhões e por longo período. Imagine a gigantesca movimentação energética ocorrendo na área de furacões, terremotos e todos os diversos fenômenos que temos no Planeta.

Tudo é vibração e frequência. Tudo que afeta o planeta, afeta nossas consciências. Estamos de uma profunda transformação planetária, que temos o privilégio/responsabilidade de vivenciar.

Devemos buscar compreender sobre este ciclo de transmutação, mas também refletir sobre qual o nosso papel nesta mudança e como podemos contribuir para que esta transição seja o mais harmônica possível. Dest forma evitaremos grandes movimentos geo-físicos que podem até tornar inviável a vida humana na Terra.

Somos todos UM. Tudo que existe é Uno. Estamos cocriando o futuro com nossas decisões, inclusive os fenômenos naturais. Que possamos criar e fortalecer cada dia mais o caminho da Paz, do Amor e da Sabedoria, e auxiliar o planeta nesta mudança de ciclo que logo virá.

Gratidão pelo canal.

Qual caminho você escolherá?

A informação nos leva ao raciocínio. Raciocínio nos conduz ao conhecimento. Conhecimento dos ensina a razão.
Neste momento então só pode haver pessimismo em relação ao futuro da humanidade.

Por outro lado…

A observação no leva a percepção. Percepção nos conduz ao coração. Coração nos ensina a intuição.
Neste momento só existe esperança e otimismo na probabilidade da regeneração.

É muita complexidade, beleza e perfeição para privarmos a evolução de se manifestar
A vida é uma espécie de “graduação interior”, e o momento da formatura se aproxima. Os ciclos se repetem.

Escolherá qual caminho? Do medo/desespero ou da coragem/esperança?

Conseguirá interromper a inércia das lições não aprendidas com o sincero perdão? Ou terá que repetir o ciclo de aprendizado nesta dimensão?

“Muitos serão chamados, mas poucos escolhidos.”

A escolha é interior, é sua, individual e intransferível.

Não espere milagres, espere trabalho. Começe agora a trabalhar para construir o mundo interior e exterior que deseja ver prosperar no mundo e em sua vida.

A rede da regeneração estão se formando em todo mundo. Sintonize-se neste processo de transmutação!

#FéNaHumanidade #TodasAsSoluçõesJáExistem #RegeneraçãoGlobal

Chegou a era do sagrado feminino no mundo

VIVA ÀS MULHERES! VIVA AO SAGRADO FEMININO!
Mais que mães, amigas e amantes, vocês, mulheres, trazem em si as chaves para o futuro de paz da humanidade.

Nosso mundo sucumbiu com o autoritarismo e racionalidade dos homens. E agora, em uma eminente nova era de consciência, serão de vocês, mulheres, a liderança do mundo.

Esqueçam a competição do feminismo doentio que se espelha na imposição dos homens. Estejam acima disso. Governem seus dias com carinho, compaixão e sensibilidade. São destas energias que residem a sua força e é disso que precisamos banhar o mundo!

Chegou a hora de reivindicar o seu Poder no mundo para regenerar os sentimentos que foram devastados pela insensatez do reino dos homens. Migrar o sentido do “PODER SOBRE” para o o “PODER COM”.

Paz, Amor e Sabedoria e todas vocês nesta missão de Luz!

#DiaDasMulheres #SagradoFeminino #NovaEra

Qual o papel do Ser Humano no planeta?

Toda vida existe por algum significado. Cada ser do planeta, em todos os seus Reinos (Reino das Plantas, Reino dos Animais, Reino dos Fungos, Reino Protista e Reino Monera) exercem uma função para o equilibrio e evolução da vida. Até mesmo os minerais, a água, o ar e o fogo contribuem para a caótica harmonia da vida. Mas, diante de tantas atrocidades e devastação que a nossa civilização tem provocado ao planeta, como podemos interpretar a contribuição do Ser Humano neste movimento de expansão e evolução?

O Planeta é vivo: Teoria de Gaia

Criada em 1969 pelo cientista e ambientalista inglês James Ephraim Lovelock, com apoio da bióloga norte-americana Lynn Margulis, a Teoria de Gaia defende que nosso planeta é um gigantesco organismo vivo, capaz de se auto-regular e se adaptar para garantir a manutenção da vida. Apesar da nossa percepção de vida dificultar a compreensão do Planeta como um ser vivo, atualmente esta teoria é amplamente aceita por muitas comunidades científicas.

gaia-grid

As evidências são muitas. Um delas trata da composição da atmosfera, que parece depender da atuação dos seres vivos do planeta. Pesquisas comprovaram que sem a presença dos seres fotossintetizantes (as plantas por exemplo), o teor de gás carbônico (CO2) na atmosfera seria altíssimo, enquanto que nitrogênio (N2) e oxigênio (O2) teriam concentrações muito baixas, impossibilitando a manutenção da vida. Desta forma, observa-se como se o próprio planeta intervenha nessas relações, tornando-a mais adequada à sobrevivência dos organismos. Nosso planeta, ou Gaia (em homenagem a deusa da “mãe natureza), possui capacidade de auto-regulação a partir da interação entre seres vivos (os 5 Reinos citados acima) e os nãos vivos (fogo, terra, água, ar, éter)

O Poder do Ser Humano

Ocupamos o topo da cadeia alimentar e somos dotados de autoconsciência e capacidade de superar limites e impor nossas vontades sobre a Terra os animais. E é justamente dessa capacidade de transformação que origina o verdadeiro Poder do Ser Humano: transformar o mundo a sua volta. Praticamente tudo que fazemos como civilização envolve algum nível de transformação. Seja na alquimia da culinária diária, no processo de industrialização, ou no impacto individual que provocamos no meio ambiente

As ações dos seres humanos no planeta tem provocado ajustamentos por parte do planeta, uma vez que estamos intervindo no equilíbrio e manutenção da vida. A emissão de gáses nocivos na atmosfera, o desmatamentos desmedido das florestas, a concentração de renda, a destruição de afluentes e rios causam sérios danos ao grande organismo vivo e aos outros seres vivos, inclusive ao próprio ser humano. A intensificação de fenômenos climáticos é consequência das nossas próprias ações.

Dentro da visão da Teoria de Gaia, o Ser Humano é a espécie responsável pelo papel de intervir e transformar sua estrutura e ambiente com o objetivo de facilitar, fortalecer e proteger a evolução da vida. Por exemplo, para se desenvolver uma cidade é preciso muita intervenção. Apenas desta forma, pode-se garantir uma vida digna às pessoas, com lazer, saúde, saneamento básico, transporte, etc. Sendo assim, o Ser Humano transforma o ambiente para possibilitar a prosperidade da sua espécie. O problema atual é o pensamento individual, e não sistêmico, da vida. Devemos (e podemos) utilizar nosso poder de transformação, mas sob a ótica de TODAS as espécies que compõe o equilíbrio do ambiente afetado. E não apenas em benefício de nós mesmos. Podemos construir cidades, mas da forma mais equilibrada possível.

Nosso planeta chegou ao momento de estafa por nossas ações, e agora precisa também da nossa atuação para não entrar em colapso. Somos responsáveis por tudo isso. Devemos enfrentar as consequências e provar que podemos reconstruir tão bem quanto destruímos.

A humanidade precisa acordar para a realidade da vida

Através de meios externos que impuseram crenças e costumes, fomos levados a escolher o caminho que está devastando o nosso planeta, o caminho da predação, exploração e individualização das relações. “Eu tenho”, “Eu quero”, “Eu lucro”, “Eu mereço”,  “Eu Posso”. Nos esquecemos do “Nós”. Aprendemos a exercer o PODER SOBRE e não o PODER COM.

Nos esquecemos que a vida é feita de um perfeito equilíbrio e que somos parte desse ambiente e evolução. Não como visitantes, mas como parte integrante. Nossas células são formadas pelos mesmos elementos que formam nossas praias, montanhas e rios. Nós SOMOS a Terra, e não apenas estamos na Terra. Ao menos enquanto permanecermos em corpo físico vivenciando sua realidade.

Diante deste momento de transição planetária, precisamos urgentemente “acordarmos” para a realidade da vida. A necessidade de contribuirmos para a manutenção/correção/regeneração dos padrões saudáveis e equilibrados da vida. Só assim conseguiremos superar centenas de anos de destruição em décadas de renascimento.

post-05-16-5-1
Como Podemos Transformar o Ambiente

Como Ser Humano, você tem o poder de transformar o seu meio. E ele pode ser exercido não apenas em sua interpretação básica de intervenção ambiental ou transformações físicas. Lembre-se da frase “Tudo que nossos olhos veem são como pálidos reflexos do que existe verdadeiramente”. Sendo assim, seus pensamentos, sentimentos, expressões e palavras afetam a realidade a seu redor, da mesma forma que uma retroescavadeira retira a terra de um morro. É isso que a física quântica também tem demonstrado.

Repare como a irritação, stress, impaciência, raiva, pessimiso e rancor das outras pessoas e notícias interferem nos seus padrões de pensamento e sentimento. Perceba como você é contaminado por toda essa energia que se amontoa em tempos (eternos) de “crises e recessões”.

Escolha se tornar consciente deste processo e DECIDIR não fazer parte de sua rede de influência. Para isso, você vai precisar se auto-conhecer para ACEITAR E SUPERAR seus erros e limitações. O desespero e a revolta devem ser inteiramente superados para você se desconectar da frequência desses sentimentos.

Somos como estações de rádio. Captamos e atraímos as frequencias dos pensamentos e sentimentos que emitimos.

Sendo assim, devemos reivindicar nossa capacidade de transformação para conseguirmos impor no planeta o futuro de paz e harmonia que somos capazes de construir juntos com a Sabedoria nos pensamentos e o Amor nos sentimentos.