Ônibus elétricos estão incomodando a indústria do petróleo

onibus eletrico

Os ônibus elétricos foram vistos como uma piada em uma conferência da indústria na Bélgica, sete anos atrás, quando a fabricante chinesa BYD Co. apresentou um modelo inicial.

“Todo mundo estava rindo da BYD por fazer um brinquedo”, lembrou Isbrand Ho, diretor-gerente da empresa sediada em Shenzhen na Europa. “E olhe agora. Todo mundo tem um.”

De repente, os ônibus com motores movidos a bateria são um assunto sério, com o potencial de revolucionar o transporte urbano – e somar-se às forças que remodelam a indústria de energia. Com a China à frente, fazer com que o tradicional motor a diesel, movido a fumaça tóxica, funcione com eletricidade, está começando a corroer a demanda por combustíveis fósseis.

Os números são impressionantes.

A China tinha cerca de 99% dos 385.000 ônibus elétricos nas estradas em todo o mundo em 2017, representando 17% da frota inteira do país. A cada cinco semanas, as cidades chinesas somam 9.500 dos transportadores de emissão zero – o equivalente a toda a frota de trabalho de Londres, segundo a Bloomberg New Energy Finance.

Tudo isso está começando a fazer uma redução observável na demanda de combustível. E como consomem 30 vezes mais combustível do que carros de tamanho médio, seu impacto no uso de energia até agora se tornou muito maior do que os sedãs de passageiros produzidos por empresas da Tesla Inc. para a Toyota Motor Corp.

Para cada 1.000 ônibus movidos a bateria na estrada, cerca de 500 barris por dia de combustível diesel serão deslocados do mercado, de acordo com os cálculos da BNEF. Este ano, o volume de combustível não necessário pode aumentar 37%, para 279.000 barris por dia, devido ao transporte elétrico, incluindo carros e caminhões leves, aproximadamente o mesmo petróleo que a Grécia consome, segundo a BNEF. Os ônibus são responsáveis por cerca de 233.000 barris desse total.

“Este segmento está se aproximando do ponto de inflexão”, disse Colin McKerracher, diretor de transporte avançado da unidade de pesquisa da Bloomberg LP, sediada em Londres. “Os governos municipais de todo o mundo estão sendo incumbidos da má qualidade do ar urbano. Essa pressão não vai embora e as vendas de ônibus elétrico estão posicionadas para se beneficiar. ”

A China está à frente para eletrificar sua frota porque tem o pior problema de poluição do mundo. Com uma população urbana crescente e uma demanda por energia galopante, os lendários smogs do país foram responsáveis por 1,6 milhão de mortes extras em 2015, de acordo com a organização sem fins lucrativos Berkeley Earth.

Colocando de volta
Demanda de combustível global deslocada por e-buses

Uma década atrás, Shenzhen era um exemplo típico de uma cidade chinesa em expansão que pouco pensava sobre o meio ambiente. Seu exemplo tornou-se tão notório que o governo o escolheu para um programa piloto de conservação de energia e veículos com emissões zero em 2009. Dois anos depois, os primeiros ônibus elétricos saíram da linha de produção da BYD. E em dezembro, todos os 16.359 ônibus de Shenzhen eram elétricos.

A BYD tinha 13 por cento do mercado de ônibus elétrico da China em 2016 e colocou 14.000 veículos nas ruas de Shenzhen. Ele construiu 35.000 até agora e tem capacidade para construir até 15.000 por ano, disse Ho.

Um trabalhador carrega um ônibus elétrico em Shenzhen.Photographer: Qilai Shen / Bloomberg

A BYD estima que seus ônibus tenham registrado 17 bilhões de quilômetros (10 bilhões de milhas) e economizado 6,8 bilhões de litros (1,8 bilhão de galões) de combustível desde que eles começaram a transportar passageiros pelas cidades mais movimentadas do mundo. Isso, de acordo com Ho, soma 18 milhões de toneladas de dióxido de carbono evitado, o que equivale a cerca de 3,8 milhões de carros produzidos em cada ano.

“A primeira frota de ônibus elétricos puramente fornecidos pela BYD começou a operar em Shenzhen em 2011”, disse Ho por telefone. “Agora, quase 10 anos depois, em outras cidades, a qualidade do ar piorou enquanto – comparada com essas cidades – a de Shenzhen é muito melhor”.

Conduzindo a Revolução
China: vendas de ônibus elétricos

Outras cidades estão tomando conhecimento. Paris, Londres, Cidade do México e Los Angeles estão entre as 13 autoridades que se comprometeram a comprar apenas o transporte de emissões zero até 2025.

Londres está lentamente transformando sua frota. Atualmente, quatro rotas no centro da cidade atendidas por unidades de um andar estão sendo transferidas para eletricidade. Há planos para fazer investimentos significativos para a limpeza de suas redes de transporte público, incluindo a reforma de 5.000 ônibus a diesel antigos em um programa para garantir que todos os ônibus estejam livres de emissões até 2037.

Um ônibus elétrico de dois andares da BYD Co. na exposição EV Trend Korea em Seul em 12 de abril 2018. Fotógrafa: SeongJoon Cho / Bloomberg

A Transport for London, responsável pelo sistema de transporte da cidade, se recusou a comentar este artigo por causa das regras de envolvimento com a mídia antes das eleições do governo local de maio.

Essas metas terão impacto no consumo de combustível. A rede de Londres atrai cerca de 1,5 milhão de barris por ano de combustível. Se toda a frota for elétrica, isso pode deslocar 430 barris por dia de diesel para cada 1.000 ônibus que passam, reduzindo o consumo de diesel do Reino Unido em cerca de 0,7%, de acordo com a BNEF.

Crescimento Europeu
Top-10 frotas de ônibus elétricos europeus, 2017

Em todo o Reino Unido, havia 344 ônibus híbridos elétricos e plug-in em 2017, e a BYD espera ser escolhida para fornecer mais. A empresa fez uma parceria com um fabricante de ônibus escocês para fornecer as baterias para 11 novos ônibus elétricos que atingiram as estradas da cidade em março.

Alexander Dennis Ltd., fabricante de Falkirk, começou a fabricar ônibus elétricos em 2016 e rapidamente se tornou a líder do mercado europeu, com mais de 170 veículos operando apenas no Reino Unido.

Mais trabalho está no horizonte, com a autoridade de transportes de Londres planejando uma licitação para eletrificar seus icônicos ônibus de dois andares, disse Ho.

“A tecnologia está pronta”, disse Ho. “Estamos prontos, temos nossas fábricas na China e Alexander Dennis na Escócia está preparado para a TfL. Assim que tivermos a palavra, estamos prontos para ir.

Fonte: Bloomberg 

Precisamos fortalecer as soluções no mundo!

Este modelo civilizatório em que vivemos está fadado ao fracasso, e nos levando a um processo vergonhoso de auto-extinção. Muito sofrimento, escassez, injustiças avassaladoras e inacreditáveis se amontoam. Em todas as áreas que se estuda, encontram-se recordes e marcas históricas que demonstram as consequências de nosso crescimento civilizatório exponecial de 100 anos baseado no Ego, no Poder, na Posse. Criamos desequilíbrios em tudo que fazemos no mundo e agora vivenciamos o período de ápice deste sistema que ainda rege o mundo.

Mas em outro lado, expandindo a esperança no futuro que se aproxima, estão as milhões de pessoas que já trabalham na construção de novos modelos para uma Nova Terra de Regeneração. Elas estão ouvindo o chamado e conseguindo mudar hábitos, buscar o autoconhecimento e um estilo de vida em maior harmonia com a vida no pensar, sentir e fazer.

O despertar da consciências é global e ela atua como um revolução para a sociedade. Expandindo-se de forma gradual, contínua e silenciosa, pois atua no interior de cada pessoa. Se fortalece a partir das famílias, amigos e lares até inevitavelmente tomar conta do mundo exterior e ser parte da cultura comum da sociedade. Já são muitos os que estão despertando e impondo grandes mudanças em seu dia-a-dia e nos padrões de consciência.

Mas talvez a fonte de maior esperança para o futuro está na constatação de que todas as soluções já existem para a regeneração da sociedade e dos ecossistemas destruídos de nosso planeta, incluíndo propostas para nova economia e modelos civilizatórios que favorecem a vida em sociedade. Ao pesquisar profundamente é possível encontrar proposas e modelos muito promissores para serem aplicados em nosso mundo.  Mas as soluções só se tornarão realidade se dermos atenção e oportunidade às milhares de pessoas extraodinárias que trabalham com amor e contribuem na construção de novos modelos para uma sociedade de Regeneração.

Temos a oportunidade como cidadãos do mundo e seres integrantes de Gaia de DECIDIR AGIR para a construção desta Nova Terra de Regeneração, onde haverá sintonia global para a recuperação do equilíbrio perdido pela imposição humana. Com todas as soluções, conhecimento e tecnologias que possuímos atualmente podemos regenerar o planeta em poucos anos, revertendo centenas de anos de devastação e desequilíbrios.

“Ser a mudança que queremos ver no mundo”. Mudar hábitos, comportamentos e padrões de pensamentos e sentimentos. Se livrar da mágoa, rancor e desilução e encontrar a sua essência que vibra amor, paz e sabedoria. Elevar as nossas vibrações. Esta são as mais importantes ações que podemos fazer neste período que vivemos.

Milhões de pessoas continuarão vibrando no ódio e na violência. Mas observe a sabedoria da profecia “Muitos serão chamados, mas poucos escolhidos”. Quem escolhe é você. O poder do livre-arbítrio sempre estará em nossas mãos. Temos sempre os dois lados para seguir.

Você decide fortalecer as soluções e a esperança no amanhã ou compartilhar o medo, ódio e injustiças que sofremos no mundo?

Estamos a um passo de uma nova sociedade

A revolução não se dá apenas de forma abrupta. Ela também pode ser silenciosa e constante, evoluindo por pequens grupos e consciências individuais, até o ponto da virada (convergência), onde tudo se expande e se manifesta no dia-a-dia da humanidade. Isso que estamos próximos a vivenciar.

Será um período magnífico de regeneração, redescobertas e união pelo futuro. Mas também de trabalho descomunal e dedicação infinita para corrigir todos os nossos absurdos erros do passado. Haverão infinitas oportunidades em todas as áreas.

Mas tudo isso não está garantido, pois o desequilíbrio é muito intenso. Mas a probabilidade aumenta a cada pessoa que desperta e decide agir. Se você acredita e deseja ampliar esta possibiidade da regeneração deve fortalecer esta realidade em seu dia-a-dia!

Pense, sinta, aja e fale sobre esperança, paz e amor. Quando você muda a vibração que emite, tudo ao seu redor se movimenta em ressonância.

Desligue a TV e ligue-se à sua Fonte Interior, que lhe oferece todos os dias as notícias mais puras e verdadeiras para a sua evolução neste mundo em transição.

#RegeneraçãoGlobal #TransiçãoPlanetária #FéNaHumanidade

Criado telhado inteligente para autosuficiência energética de moradias

O professor Wen Tong Chong, da Universidade da Malásia, acredita ter encontrado o projeto ideal para uma casa mais ambientalmente correta em regiões tropicais.

Seu objetivo foi obter um equilíbrio entre um “conflito ambiental” que incomoda os arquitetos: como conciliar a crescente demanda de conforto, com seu natural consumo de energia, e a necessidade de reduzir o consumo de energia por conta das mudanças climáticas.

Usar fontes renováveis de energia e aproveitar as variações naturais do clima parece ser uma resposta adequada, mas falar é mais fácil do que fazer.

Chong então idealizou um telhado superior em formato de V, que se projeta acima do telhado tradicional, criando as condições para gerar energia e aproveitar a iluminação natural.

Telhado inteligente

A estrutura em V coleta o vento e o dirige para uma série de turbinas situadas logo abaixo, gerando eletricidade.

A estrutura também aumenta o fluxo de ar dentro da casa por meio de aberturas construídas no telhado tradicional, melhorando a ventilação natural.

Além disso, um coletor de água da chuva é conectado a um sistema automatizado de resfriamento e limpeza que lava as células solares embutidas no telhado secundário, para manter seu nível de eficiência.

Finalmente, claraboias transparentes iluminam as áreas principais dentro da casa durante o dia, reduzindo a necessidade de iluminação artificial.

Ganhos energéticos

Chong afirma que seu telhado adicional poderia suprir as necessidades de uma família de seis pessoas, gerando 21,20 quilowatts (kWh) de energia, e economizando outros 1,84 kWh por conta dos tetos solares.

Além disso, o sistema de ventilação poderia movimentar, em termos anuais, cerca de 217 milhões de metros cúbicos de ar e reduzir as emissões de dióxido de carbono em 17.768 quilogramas, enquanto o coletor de água da chuva poderia coletar cerca de 525 metros cúbicos de água.