A ousadia do mau nos bons

O bem, geralmente passivo, constante, equilibrado precisa agora se expressar com proatividade, altruísmo e ousadia para conseguir implementar as soluções criativas e inovadoras que serão necessários para regenerar nosso planeta de mais de 100 anos de acelerada exploração e predação humana desmedida.

A percepção de mundo que temos de violência vem em grande parte pela ousadia, veemência e impacto do impulso egoísta e violento que compreendemos como “mau”. Chama muita atenção e ainda atraem muitos holofotes nesta sociedade de desejos e culto a dor….mas é como yin-yang, são duas polaridades autoexistentes que compõem uma unidade.

O desafio agora é cada pessoa boa deste mundo, que são motivadas pelo “amor aos outros”, que preferem o “nós”, ao “eu”, conseguir agir com a mesma veemência e ousadia dos maus, porém direcionados para o bem, com entusiasmo e determinação, em colaboração e acolhimento as diferenças.

O tempo de transição em que vivemos nos levará inevitavelmente há um novo modelo de sociedade. Resta saber se os bons terão a ousadia dos maus para agir no tempo e na abrangência que os desafios atuais exigem.

Soluções globais são construídas com conexões locais! É tempo de cooperação pela regeneração do mundo e da nossa própria humanidade.

Como Funciona o Karma – Lei do Retorno

“Assim como semearmos, assim também colheremos”. A afirmação do mestre Jesus define a essência do significado do Karma, palavra originada no oriente (do sânscrito, “ação”) e utilizada como definição da chamada Lei do Retorno, como o ocidente tem denominado.

A explicação mais básica do Karma, é “Causa e Efeito”. A sabedoria de que não somos vítimas de um universo aleatório, mas co-criadores com Deus, que nos concedeu o Livre-Arbítrio, ou seja, o poder de podermos decidir e agir livremente sem a interferência direta dos planos metafísicos em nenhum aspecto de nossas vidas. Porém, o exercício do livre-arbítrio traz as consequências como resultado. E essas consequências são as origens dos aprendizados e das dádivas recebidas nesta vida.

Toda ação que realizamos, todo pensamento que temos, ou sentimentos que expressamos trazem consigo a origem dos acontecimentos que moldarão nossas vidas.

Muitas pessoas atualmente estão acordando para a necessidade de SER, e compreendendo que esta postura de ser responsável pela sua vida e compreender os próprios desafios como aprendizados (e não injustiça) é o único caminho realmente auto-sustentado, pleno e completo, a qual nenhum dinheiro, status ou poder é capaz de prover.

O KARMA PELAS MOTIVAÇÕES

Os nossos comportamentos no presente estão moldando o nosso futuro. Porém, o karma atua nas motivações por trás de cada ação que vivenciamos. Qualquer gesto ou ação no plano físico não anula a consequência das verdadeiras intenções que são expressadas apenas por nossos pensamentos e sentimentos, ocultos aos olhos humanos, mas não à natureza do Karma.

Para compreender esse fato, podemos analisar o caso de uma pessoa que é para os pobres ou fiéis um benfeitor, mas que em verdade só é assim, pois esta em busca de reconhecimento público, fama, respeito e poder, e não por alguma real preocupação ou motivação nobre de ajudar. Naturalmente, essa pessoa iria obter alguma “quantidade” de Karma positivo pelas ações praticadas, mas como a motivação é egoísta, o seu “saldo” de karma positivo seria limitado.

Compare essa pessoa com uma outra que luta com dificuldades pela satisfação na vida, mas que, lamentando de forma verdadeira a realidade de pessoas em piores condições, doa, recicla e contribui com o pouco que tem, de forma sincera. A motivação desta pessoa é pura e verdadeiramente altruísta, gerando assim grande “quantidade” de karma positivo.

Nossas vidas são regidas pelas energias que emitimos e não (apenas) pelos atos que praticamos. O conteúdo, e não a forma, é o que interessa para a evolução. Fazer o bem porque isso é certo (e necessário nestes tempos que vivemos) tem muito mais valor do que fazê-lo apenas para ter uma boa imagem aos olhos dos próprios pares e da sociedade.

Sendo assim, reflita sobre as reais motivações de tudo aquilo que você está realizando em seu dia-a-dia. Você realiza de bom coração? Ou esta sempre em revolta ou conflito mental com sua realidade? Quais são as origens desta revolta ou conflito? Examine-se em sua consciência. Aceitar os erros (e a vergonha interior por cometê-los) é o primeiro passo para o desenvolvimento da consciência do karma. Estamos todos em evolução, não somos perfeitos. Perdoe e busque melhorar sempre.

O KARMA E AS LIÇÕES DA VIDA

O karma é, portanto, o resultado de uma causa posta em ação por uma pessoa, um grupo de pessoas, uma cultura especifica ou, até mesmo, o planeta como um todo. É comum interpretar o Karma apenas como algo negativo, mas isso não está correto. O karma é simplesmente o efeito apropriado de uma causa, tanto positivo, quanto negativo, que existe para nos dirigir ás experiências apropriadas que irão ensinar o que precisamos aprender.

Temos a tendência de pensar de forma imediatista e chamar de karma negativo o que não gostamos no presente, mas se examinássemos um pouco mais, poderíamos ver que muitas vezes o nosso julgamento estará equivocado.

Um acidente ou imprevisto, por exemplo, pode ser visto como karma negativo a primeira vista, porém suas consequências podem nos livrar de situações muito piores e mais degradantes. Não podemos julgar os acontecimentos apenas pela ótica momentânea. Vivemos para evoluir, e o professor da vida é o karma que, através da energia de Deus, nos move para o crescimento e evolução.

Seremos forçados a enfrentar o que tiver sido objeto de nossos julgamentos, críticas, condenações, abusos, maus usos, proveitos, etc…a fim de saber o que é passar por isso para que possamos nos tornar seres verdadeiramente conscientes.

Temos muitas qualidade, que foram evoluídas por nossos méritos que construimos através da luz da razão, da compaixão, do amor e da paz. Espera-se, portanto, que possamos evoluir e superar nossas provações com toda essa sabedoria interior acumulada. Nenhuma provação é, portanto, superior a capacidade de uma pessoa de superar um lição, (a não ser pela atuação de karmas coletivos impessoais, como no caso de guerras, doenças, etc – mais informações a seguir).

Porém, caso o aprendizado não ocorra, seremos lançarmos até uma situação em que não teremos escolha a não ser aprender a lição necessária. E se não aprendermos da primeira vez, o Karma irá atuar em níveis cada vez mais profundos desta lição particular até que a assimilemos corretamente.

O KARMA POSITIVO

O Karma pode ser muito positivo, pois sua atuação é regida pelo “toda causa tem seu efeito” e “assim como semearmos, assim também colheremos”. É como um rio que corre para ambas as direções, reforçando as experiências positivas e atuando como um instrutor em nossa passagem pelas experiências mais difíceis de nossas vidas.

NOTA: Algumas filosofias apelidaram o karma positivo de “Dharma”. Claro que não há problemas em adotá-lo, mas em essência essa divisão é desnecessária, pois a palavra karma, como vimos, significa apenas “ação”, e interpretado, portanto como a “lei em ação“, pelas filosofias milenares que adotaram esta palavra. O karma, portanto, pode ser positivo ou negativo.

Se de fato seguirmos os ensinamentos do Mestre Jesus, ao dizer “assim como semearmos, assim colheremos”, podemos compreender facilmente que em nossas vidas estamos sempre plantando sementes para manifestações futuras, que todos os nossos atos estão ligados a uma consequência posterior. Não como uma imposição, mas como uma realidade.

Não é objetivo deste texto explicar a metodologia de atuação do karma, que é transmitido e armazenado no campo áurico de cada pessoa, mas em suma podemos dizer que nos magnetizamos com aquilo que trazemos ao mundo e que atrairemos de volta aquilo que emitimos.

Portanto, todos nós trazemos o magnetismo, ou radiância, de todas as boas ações e motivações puras que manifestamos em todas as nossas vidas precedentes. Logo, todos os atos de gentileza, generosidade, amor, caridade, perdão. Etc., vão florescer inevitavelmente em vidas subsequentes. Aqueles que possuem apenas a visão da vida atual, e que imaginam que a sua existência não vai além disso, costumam julgar que a vida é injusta, aleatória ou incompreensível. Amado irmão, isto não é verdade.

Aquele que deu de si com pureza de motivos e de coração, ou sacrificou sua vida pessoal pelo amor ao próximo e evolução da humanidade, porém morreu sem amigos, dinheiro ou reconhecimento de modo algum se perdeu no abismo do infinito sem reconhecimento. Isso simplesmente não faz sentido para a sabedoria das “muitas moradas na cada de meu pai”, como também expressou o Mestre Jesus (utilizo as passagens de Jesus por escrever principalmente a um país de maioria cristã, mas esses ensinamentos tanto do karma, quanto da múltipla existência da vida estão presentes em praticamente todas as escolas do saber espiritual, desde o antigo Egito, zoroastrismo, ao budismo, hinduísmo e o atual (e cristão)  espiritismo.

No caso desta pessoa que morreu na desgraça física, mesmo tendo pureza e altruísmo, havia uma lição particular que esta alma tinha que aprender ao passar por essas privações. Mas todo bem feito por nós fica registrado em nossos campos energéticos e vai atrair nas próximas existências, os frutos das boas obras realizadas.

Assim, muitos veem com sua visão limitada, que a boa sorte de uma pessoa que nasceu em “berço de ouro”, é uma injustiça, comparando a sua vida marcada pelos esforços e dificuldades. Essa pessoa obteve a sua “boa sorte” ao nascer em virtude do seu bom karma. Porque nada na vida, quando visto pela lente maior de Deus, é casual ou injusto.

E nem sempre o fato da pessoa nascer em “berço de ouro” pode ser interpretado como uma dádiva, pois a pessoa terá o livre-arbítrio para agir de forma amorosa ou egoísta. Se não se voltar ao auto-conhecimento poderá cair nas vibrações do poder, da fama e competitividade que nosso mundo atual transmite e cometer erros muito maiores que uma pessoa humilde poderia cometer. Veja por exemplo, o caso de um político rico e corrupto que tem o poder de prejudicar o sistema público de saúde de uma cidade inteira pelo nível que alcançou devido a sua “boa sorte”. O karma negativo gerado por alguém de “boa sorte”, mas que empregou essas dádivas para manifestação do sofrimento e desrespeito alheio será muito mais profundo. É a essência do ditado “quanto mais se sobe, mais alta será a queda”.

O karma é um fluxo constante que traz consigo o conteúdo positivo ou negativo gerados em situações e eventos que não podem ser percebidos com os sentidos físicos.

Aqueles que receberam do destino sorte no amor, boa saúde, beleza física e que nasceram em famílias amorosas mereceram tal realidade no âmbito de suas muitas encarnações. Porém, temos que lembrar sempre que não podemos distinguir de fato o caminho mais fácil do mais difícil. Muitos que possuem todas as dádivas da vida, podem estar passando por terríveis momentos de aflição interior, pois como diz o adágio bíblico “que aproveita o homem que ganha o mundo inteiro se ele perde sua própria alma?”

NÃO JULGUE PARA NÃO COMETER ERROS DE JULGAMENTO

O karma é uma das manifestações mais complexas de Deus em nossas vidas. O que parece positivo pode ser o caminho mais difícil. Muitos que aparentemente vivem com todos os bens que a vida pode oferecer, em verdade estão vivendo a lição de compreender como é oca e vazia uma vida que não põe os ensinamentos de Deus, do amor, da paz, em primeiro lugar. Porém, claro, há muitos que colocam o seu sucesso pessoal a serviço da evolução da humanidade, o que espero ver crescer nos próximos anos.

Desta forma, tudo que nos sucede pode ser bom ou ruim, mesmo que pareça ser impossível não afirmar a natureza do fato. Veja por exemplo um acidente. Sem dúvidas será encarado pela grande maioria como algo negativo e talvez fruto do karma negativo, porém pode se concretizar como uma verdadeira benção. Para compreender essa sabedoria, veja a seguir uma curta parábola muito precisa para melhor entendimento:

——————————-

Um casal que se sentia solitário rezou a Deus por um filho. O casal foi agraciado com o filho e começou um grande celebração.

-Vocês têm muita sorte por ter um filho nesta altura da vida, disse o vizinho.

Em lugar do pai, um sábio deu apenas a resposta: – Talvez

O tempo passo, a criança tornou-se jovem e quis um cavalo. Como tinham pouco dinheiro, os pais rezaram com fervor e sinceridade para que o filho tivesse um cavalo. Deus atendeu ao pedido. O pai se encheu de gratidão, dizendo que ele tinham muita sorte e que Deus tinha sido muito bom com eles outra vez.

E o sábio deu a mesma resposta: – Talvez

Semanas depois, enquanto cavalgava, o filho sofreu um terrível acidente. Foi atirado do cavalo e quebrou várias costelas e as duas pernas. O pai reagiu a sito censurando Deus por de repente ser tão cruel e injusto.

O sábio, que nunca se afastava muito da família, respondeu simplesmente como sempre, mostrando um meio sorriso o canto da boca: – Talvez

O filho ficou feriado, lutando pela vida, quando de repente eclodiu uma guerra. Todos os jovens da cidade foram combater nesta guerra, e como a situação era adversa, morreram todos em batalha. Enquanto isso, o filho do casal fazia miraculoso progressos em sua recuperação. O pai disse então que Deus fora muito bom ao ferir o seu dele a fim de poupar-lhe a vida.

E o sábio simplesmente deu seu meio sorriso e respondeu: – Talvez.

—————————-

Essa parábola não tem fim. Ela mostra simplesmente as correntes do karma e a nossa incapacidade de discernir o que e karma positivo e o que é chamado como karma negativo.

Sendo assim, devemos passar por nossas lições e dádivas kármicas com a maior harmonia e graciosidade possível. Veja o caso de Nelson Mandela, que após mais de 20 anos preso sai da prisão evocando o perdão, surpreendendo todos já prontos para a guerra.

E, como o meio sorriso do sábio, não julgue, mas simplesmente responda “talvez” a quem julgá-lo com ou ruim e deixe o resto nas mãos de Deus.

O Karma não traz nenhum julgamento, e deve ser visto simplesmente como a lei em ação, impelindo-nos a rumar para a sabedoria mais profunda e para a ação mais sincronizada com Deus.

Uma atitute extremamente útil para caminhar pelo karma com harmonia é ter na vida não apegos, mas preferências. Uma preferência é uma atitude de querer alguma coisa, mas ficar contente mesmo que não se consiga essa coisa. Uma atitude de apego, no entanto, deixa a pessoa desapontada, desiludida e irritada quando seus desejos não são atendidos. Ao aplicar essa atitude em sua vida, automaticamente você estará sendo guiado para vivenciar a consciência do seu Eu superior.

Quanto mais rapidamente estivermos dispostos a aprender, com tanta maior velocidade passaremos pelas lições necessárias e começaremos a vivenciar um nível cada vez mais superior de consciência. Mas antes precisamos aprender a não combater com revolta os desafios e dificuldades que nos chegam. Em psicologia, isso chama-se “aceitação”; no budismo, chama-se “não-resistência”. No hinduísmo, Sai Baba referia-se a esta como uma atitude de “acolher a adversidade”

É importante compreender que você pode, com o seu livre-arbítrio, pedir a Deus e aos mestres para acelerar a manifestação do seu karma, mas também, caso sinta-se muito exausto diante das lições da vida, pode pedir para reduzir-lhe a velocidade. Lembre-se sempre que Deus e os mestres trabalham com você em uma parceria co-criativa, onde o seu Destino é moldado pelas lições do karma e as escolhas do seu livre-arbítrio.

Quanto mais evoluímos no caminho da ascensão espiritual, mais nos envolveremos com o processo do karma em nossas vidas. Saber disso, vai ajudá-lo a ver que a tendência de sua vida, é uma tendência que você, enquanto alma, busca manifestar a fim de fazer o progresso mais eficiente. Você não é simplesmente uma vítima do passado. É co-criador do seu próprio destino, tendo criado para si mesmo com o auxilio dos mestres espirituais, as situações que trazem o melhor potencial para a sua evolução.

A paciência, a perseverança, a meditação, o estudo, a leitura e o auto-conhecimento são as chaves para alcançar as dádivas do karma, que receberemos sempre que concluirmos com sucesso nossas lições.

O KARMA COLETIVO IMPESSOAL

Há muitas forças kármicas que somos submetidos, mesmo que não façamos parte de sua causa. É o caso das guerras, as consequências das poluições humanas, doenças, catástrofes, e até mesmo atentados terroristas que submetem muitas vidas a consequências incompatíveis com seu karma pessoal, ou seja acontecimentos que não foram invocados por nós mesmos, mas pelas escolhas que moldaram o planeta de um modo geral.

Porém como a Lei do Karma se expressa por Deus, que é sempre justo, muitas das mortes físicas provocadas pelas manifestações do Karma Coletivo impessoal faz com que as lições do karma individual que seria trabalhado de modo ledo e menos dramático, seja cancelado instantaneamente, libertando aquela alma num átimo de tempo, ao invés de ser necessário muitas vidas de aprendizados.

Visualize esse cenário no caso de uma pessoa de bom coração e conduta correta, que se vê refém da guerra, onde acaba presenciando a morte trágica de todos os seus familiares e ainda sofrendo abusos e torturas antes da morte. Naturalmente, essas elevadas experiências de dor e sofrimento de uma pessoa justa e honesta, que não deveriam fazer parte do processo de karma individual dessa pessoa se acumulam dentro da alma, e essas energias irão transmutar a necessidade de passar por mais desafios negativos.

Porém, não pôde-se afirmar como certeza deste tipo de atuação para todas as pessoas submetidas ao karma coletivo impessoal, mas equivale a dizer que as leis de Deus vão corrigir e ajustar as consequências provocadas pelo coletivo na jornada evolucionária de uma alma. Ninguém sofre sem antes ter sido observado, cuidado e, em última análise, curado.

Fazer parte da humanidade é compartilhar dos erros e acertos do passado, além de se submeter as influências diversas que vão muito além da nossa atuação pessoal. Estamos todos intimamente ligados pelas causas e consequências, sejam coletivas ou individuais.

O NÃO JULGAMENTO E A LIBERTAÇÃO DO KARMA

Seja sob a ótica pessoal ou coletiva, os ensinamentos que o Karma oferece reforçam a necessidade do não julgamento. Logo, observem, aprendam, mas nunca julguem a má sorte ou boa sorte de qualquer pessoa, pois você não sabe quais as veredas da vida ela percorreu para sua situação atual.

Mas de que forma podemos então, passar por essa “mar” do karma de forma positiva? A resposta é bem simples, porém sua aplicação depende de grande empenho interior: com o máximo das nossas capacidades e numa constante sintonia com os valores de Deus, que se expressam por nosso coração quando atuamos de forma sincera e amorosa.

A intuição e o sentir são mais eficazes para compreender o karma, pois toda sabedoria oculta é trazida a luz no coração de cada pessoa. O amor, a sabedoria e o serviço aos outros (caridade) é um grande recurso de transmutação do karma, e está ao alcance de todos nós. O verdadeiro poder de cura reside sempre no interior de cada um de nós.

Reivindique o seu livre-arbítrio para superar suas lições com amor e aceitação, para assim trilhar o seu caminho de forma positiva na infinita jornada da evolução.

buda-5

FONTES UTILIZADAS PARA O TEXTO:

  • Livro “O caminho da ascensão” – Joshua David Stone (toda linha de raciocínio da apresentação do texto foi inspirada nesta obra)
  • Textos bíblicos
  • Livro “Bhagavad-Guitá”
  • Livro “As Chaves de Enoch”