OS DIAS COM UMA LINDA CORUJA QUE ME ESCOLHEU PARA CONDUZIR SUA JORNADA À MORTE.

Como uma magia que se manifesta, na experiência mais profunda da minha vida com a Natureza e as essências da Morte, uma linda corujinha fez sua passagem deste plano físico acolhida em meu colo, com carinhos e ao som de flauta, que tentava tocar com lágrimas nos olhos. Um misto de amor, honra e uma tristeza inevitável dos laços de compaixão e carinho intensos que se formaram em meu coração nos dois dias desde a sua aparição, até sua passagem. Uma experiência que guardarei para sempre em meu espírito, minha mente e em meu coração, e busco compartilhar de modo a eternizar os detalhes desta memória e inspirar amor no coração de quem se propor a ler.

Era domingo (21), 8h da manhã, quando acordei e, junto com meu filho Cauê de 3 anos, nos deparamos, no meio de minha sala, com uma coruja, que parecia ferida e conseguia abrir apenas um de seus grandes e lindos olhos amarelos.

Tentei entender o que acontecia…”Como ela entrou e veio parar aqui embaixo, se havia apenas uma pequena fresta aberta na janela do andar de cima?”, outro pensamento inevitável foi “Como ela sobreviveu por horas com meus dois gatos (super caçadores de pássaros) no mesmo ambiente?” Mas, enfim, por mais inacreditável que fosse, lá estava ela. Imponente, porém frágil e abatida me olhando com um único e grande olho amarelo. Minha primeira reação foi querer abrir a porta para ela sair de casa, e ao tentar chegar perto para abrir a porta, os gatos se aproximaram com interesses ameaçadores e provocaram reação de defesa, foi onde abriu suas asas revelando com toda plenitude a sua mensagem de poder e força, como a maior ave caçadora da noite.


Após fechar os gatos no quarto, retornei e pude interpretar com mais calma toda situação, especialmente a expressão da Coruja. Algo que jamais esquecerei, um olhar tão profundo em um misto de medo, apreensão, mas um certo “convite” para eu me aproximar. Essa percepção me surpreendeu e me fez sentir encorajado a tentar uma aproximação. Com calma e movimentos lentos fui chegando perto…quando toquei em suas plumas e olhei em seu olho, uma forte percepção atravessou minha alma de uma forma que simplesmente não tenho palavras para descrever. Era como se uma voz interior dissesse “ela veio se entregar a você, para encaminhar a sua morte em paz”, mas de maneira muito profunda e complexa para aqueles poucos segundos.

Toda essa energia se somou ao gesto em resposta da pequena Coruja ao meu toque. Com tranquilidade seus olhos começaram a se fechar lentamente enquanto meus dedos começavam a acariciar a sua cabeça, como em um ninar de bebê. Pude sentir o cansaço de uma baixa vitalidade que apenas os anos de vida trazem. Era uma “corujinha vovó”, como sempre dizia o Cauê.

Após este contato inicial de muita intensidade, pensei em formas de a colocar em contato com a Natureza, afinal é o habitat original de sua vida. Fique confiante nesta ideia porque não havia nenhum ferimento nas asas, nem sangues aparentes e até mesmo o olho sempre fechado estava bem cicatrizado, demonstrando ter acontecido há tempos. Ela se adaptou a viver com o desafio de ter apenas um olho. Parecia uma coruja apenas cansada com ferimentos leves não aparentes.

Levei ao jardim e tentei estimular o voo para ver sua capacidade. Mas após duas tentativas frustradas onde quase ela se feriu gravemente em quedas desgovernadas, percebi que ela não podia mais voar. Reparei também que sua cabeça se movimentava levemente para os lados de forma repetitiva e involuntária, atestando algum problema no sistema nervoso. Sem voo, sem olho, sem capacidades neurológicas sadias, sem energia para movimentações. Ela só tinha a mim. Nesta hora tive a certeza que todo sentimento inicial era verdadeiro e que o único caminho a seguir seria o acolhimento amoroso deste lindo ser da Natureza…As lágrimas nasciam enquanto a mente e o coração constatava a profundidade da missão e da jornada de encaminhar a passagem do plano físico deste lindo e magnífico animal de poder. Sentimentos de honra, responsabilidade e gratidão fizeram morada em meu coração durante todos os momentos ao seu lado.

Seguindo também os “protocolos” da mente, entrei em contato com colegas veterinários e um amigo-irmão, mestre no estudo das aves (ornitologia) em aves para transmitir e colher informações e sobre como poderia eu poderia acolher e ajudar. Descobri que se tratava de uma coruja fêmea idosa de nome Megascops choliba, conhecida como “corujinha-do-mato”, muito comum na nossa região. Uma linda vovó coruja caolha. Após observar que a excreção também estava sem sangue, constatamos que não havia nenhum ferimento interno grave. O consenso foi de que a corujinha idosa estava no caminho da morte mais abençoada que existe, na tranquilidade de um sono.

Descobri também que esta espécie dorme durante o dia em galhos de árvores, desta forma, tentando ainda oferecer alguma experiência em meio a natureza, escalei minha árvore de amoras e coloquei ela em um dos galhos. Mas após algum tempo, percebi que ela ficava com o olho atento, mas com muitos sinais de cansaço, como se estivesse tentando dormir, mas apreensiva por ter que ficar acordada. Decidi retirar da árvore. Assim que a segurei na mão, novamente a mesma reação de tranquilamente ir fechando os olhos, como se estivesse aliviada e sentindo-se segura.

Tentei dar alimento, até peguei algumas minhocas e ofereci em seu bico para comer, mas ela nunca quis se alimentar. Foi assim até o fim. Eu oferecendo, e ela simplesmente ignorando, sem nenhuma vontade ou reação. Apenas água que conseguia dar em um potinho em seu bico, mas mesmo assim com pouquíssima reação e energia. Constatei que realmente era apenas questão de tempo, e não havia nada que pudesse fazer além de acolher. Lembrei também de um ensinamento que aprendi com Chico Xavier em uma de suas declarações ao programa “Pinga Fogo”, onde ele explica que os animais idosos ou doentes, quando param de demonstrar interesse ou vontade de se alimentar, é uma demonstração do animal de que sua jornada de vida se concluiu e a morte foi aceita como caminho inevitável

Ao estabilizar em mim esse fato de que seria como um guardião de seus últimos momentos até a sua morte, procurei oferecer o máximo de carinho, tranquilidade e segurança a este lindo animal que, de alguma forma, me escolheu para essa missão. Fiquei próximo durante todo tempo, inclusive nas noites, em que dormia no chão ao meu lado, acomodada em uma espécie de ninho que preparei em um vaso de samambaia colocando folhas e pequenos galhos. Mesmo no período noturno de sua máxima atividade, a corujinha continuava cansada e apenas descansava, as vezes, abrindo totalmente os olhos e ficando observando por algum tempo.

Neste período, por sentir todo significado espiritual da experiência, procurei mergulhar em meu interior, em meditações e reflexões profundas sobre a sabedoria por trás de todo esse acontecimento. Levarei para sempre os ensinamentos interiores e as conexões que senti com este lindo animal, que me levou a expandir minha consciência para uma compreensão mais ampla sobre a sabedoria da Natureza, em seus animais e fluxos de vida, e da Morte, em seus dons e belezas ocultas.

Naquela manhã de domingo quando começou, pensei que levaria algumas poucas horas, mas toda experiência durou 52 horas, até as 12h22 de terça-feira (23), horário exato da manifestação da morte física. Até o momento final seu olho entreaberto demonstrava um movimento de abre e fecha da pupila, como uma respiração final com os olhos enquanto seu corpo manifestava com movimentos tranquilos os colapsos finais do corpo. Ao encerrar sua vida, o outro olho sempre fechado finalmente se abriu em outro lindo olho amarelo. Neste gesto final, demonstrando mais uma sabedoria da morte, que é como o abrir de olhos em outro plano. Com a morte os olhos se abrem, e não se fecham. A transformação contínua de planos de realidades.

Durante os momentos finais de despedida da “Corujinha vovó”, o Cauê estava por perto. Já vinha preparando ele desde o início dizendo que a corujinha vovó ia se despedir, pois estava muito cansada e logo iria se transformar em uma linda estrela no céu. Ele veio, sentou ao lado, conversou, quis cantar músicas e algo muito simbólico aconteceu. Bem no momento que a corujinha tinha acabado de partir ele veio trazendo duas florzinhas amarelas e colocou em cima dela. Em seguida, ele molhou as mãos no laguinho que temos no jardim e veio passar a mão em cima da corujinha enquanto falava “ahh agora está ótimo corujinha vovó. Você vai ficar bem linda e limpinha”.

E foi assim que se findou essas intensas horas que levarei para sempre. Um dia, se assim for, seremos como essa linda corujinha que se entregará para uma morte em paz. Que possamos ser acolhidos com amor neste profundo momento de entrega e compaixão de mais um ciclo que se renova na infinita jornada da vida.

——–
Do fundo de meu coração, eu peço que todas as pessoas que chegarem até este momento do texto, que possam reservar poucos momentos do seu dia para sentir o imenso amor e carinho que a Natureza nos demonstram e nos envia todos os dias. Envie conscientemente amor e carinho para a Natureza. Se tiver, abrace com amor seu cachorrinho, gato ou algum outro animal de estimação que tenha em casa e, olhando no fundo de seus olhos, e envie este amor a ele e também para todos os seres da Natureza. Agradeça pelo ar, pelas águas, pelas plantas, frutas, pelos sons e pelas cores que compõem toda exuberância da vida deste nosso magnífico planeta, carinhosamente, nossa linda Gaia.

A conexão verdadeira e sincera em pensamentos e sentimentos de paz e amor com a vida que nos cerca é a verdadeira religião que pode nos ensinar sobre a sabedoria divina que existe em cada detalhe de nossa existência e nos indicar caminhos a seguir em nossa própria jornada de evolução.

A jornada por novos modelos de futuro à humanidade

Toda construção de um futuro em equilíbrio começa com a necessidade de estarmos atentos aos acontecimentos que moldam nossas decisões, desenvolvendo a sensibilidade de compreender os impulsos que nascem da mente e do coração. Pensamentos e sentimentos que são geradores do agir, falar e decidir. Por fim, são eles os construtores de nossa identidade ao mundo. Aprender a discerni-las é absolutamente fundamental para a auto percepção que revela propósitos e motivações, mas para isso é preciso treino.

Medite.

Neste mergulho interior, as percepções dos valores que norteiam a evolução humana e propiciam o entendimento do senso de fraternidade se revelam. Não é preciso Leis externas para guiar uma consciência desperta. Assim como o Amor, que não explicado pela ciência nem pela mente, porém é compreendido de forma tão verdadeira e absoluta no coração.

Precisamos dar mais valor aos acontecimentos de nosso dia a dia e as nossas próprias capacidades. Não desperdiçar horas em atividades inúteis ou procrastinatórias. Despertar de forma consciente a decisão de agir para se tornar uma pessoa melhor. Seja em escassez ou em bonanças, questionar como aperfeiçoar a si mesmo e ajudar outros a serem melhores também.

Nestes dias difíceis de transição temos que aprender a viver em constante instabilidades, e como tempos mutáveis que são, é preciso deixar morrer antigas estruturas para construir novos modelos e métodos de crescimento. Também é preciso pensar em como ajudar a cobrir os que ficarão descobertos com esses fortes ventos das mudanças necessárias.

Portanto, o mais importante é AGIR. Este é o único movimento que nos levará a construção de novos caminhos e consensos. Tirar planos do papel e agir com a certeza que podemos contribuir para a melhoria de nós mesmos e da realidade ao nosso redor. Abandonar o senso de competição e vivenciar verdadeiramente a cooperação.

Todo esse movimento exige sair da zona de conforto, ser “diferente”, ousar, arriscar, criar…atributos massacrados e perseguidos por uma cultura midiática industrial da padronização de belezas, conceitos e desejos. Então, é exigido bravura, coragem e autenticidade de todos que estão dispostos.

Para um novo tempo de regeneração ser possível, a nova geração de líderes precisará quebrar a lógica com criatividade, surpreendendo os antigos padrões não preparados para as novas complexidades de uma sociedade digital ultraconectada. Usar a favor do nosso próprio futuro toda a abundância de informação e conhecimento que temos para construir redes fortes e profundas que construam os novos modelos de um futuro de regeneração.

A maior revolução que existe é da Consciência.
Não perca energia sendo contra o que te revolta.
Esteja a favor do que acredita e foque na solução.

Como pode ser a nova “educação regenerativa” de um mundo pós Covid19?

Medite nesta foto. São de escolas na Escócia. Compare com a imagem das salas de aula com carteiras enfileiradas e lousas de giz.

Em tempos de tecnologia onde a informação está amplamente acessível o que é REALMENTE importante ensinar para as crianças e jovens, a nossa futura geração?

O que precisamos aprender e ensinar para vivermos de forma mais equilibrada e autosuficiente? Qual a importância da “sabedoria” e conhecimentos oferecidos por nosso próprio planeta em suas plantas, animais e ciclos?

A Educação é a base, e ela precisa ser profundamente transformada para se adaptar a sociedade digital ultraconectada em que vivemos.


Pessoas que aprenderam em casa estão substituindo muitos com formações acadêmicas por comprovarem serem melhores em conhecimentos e realizações práticas. É cada dia menos importante possuir um diploma para conseguir um emprego.


Mas para chegar ao emprego, é preciso passar pela Educação básica, que é como uma base motivadora dos sonhos e dos projetos de vida de todos nós.
Como a Educação pode contribuir para uma futura geração baseada na cooperação e não na competição?


Muitas perguntas, com respostas sendo construídas em tempo real, até mesmo agora, enquanto você lê e reflete sobre tudo isso. As soluções começam nos pensamentos.

————————
Comentário interessante feito por Aláya Dullius no Facebook:
“Fui à Escócia ano passado, quando visitava a Ilha de Iona (5mil habitantes) passei em frente à unica escola local. Minha filha estuda numa escola waldorf, e por isso o jardim da escola me chamou atenção >
Balanço na árvore, pneus, igual a waldorf daqui.”

“Havia uma horta e muitos brinquedos de madeira, desses de escalar e brincar com o corpo. Nenhum plástico prá fabricado. A ilha não é uma comunidade humilde e o prédio da escola ao lado do jardim de infância (a casa do ensino fundamental) era bem grandinha (pro tamanho da população)

———————
**A foto do topo do texto é de uma reportagem do The Guardian sobre a reabertura das escolas da Escócia diante do Covid19. Como solução para diminuir risco de contágio, o país está propondo uma educação “ao ar livre” com atividades mais integradas com a natureza.
Link: https://www.theguardian.com/uk-news/2020/may/10/scotland-eyes-outdoor-learning-as-model-for-reopening-of-schools#img-1

OS 110 DIAS DA REVELAÇÃO – Possíveis jornadas humanas até 1º de Setembro 2020.

Os próximos 110 dias, segundo os estudos do tempo baseado na visão cosmológica da civilização Maia, representa um ciclo de grande intensidade. Será um período em que deveremos cruzar o “oceano da morte”, da transformação, para adentrar as terras da receptividade, criatividade e das novas possibilidades e soluções.

A partir de hoje, dia 13 de maio, até o dia 1º de Setembro, serão 110 dias que podem representar um ciclo completo de queda, ápice e início do tempo de ascensão de novas soluções e consensos ainda desconhecidos ou impossíveis no momento presente.

Durante estes 110 dias, segundo o chamado “Sincronário de 13 Luas”, baseado na cosmologia Maia, teremos dois ciclos muito diferentes. Até meio de julho estaremos no “tempo da morte”, onde através da transformação existe a renovação para um novo ciclo de nascimento. Provavelmente serão dias de abalo profundos e de grande revelação do que estava oculto, ainda com dificuldades para enxergar soluções, consensos ou caminhos claros a seguir.

Entre meio de julho e agosto, será um ciclo de criatividade, onde a receptividade de muitos estará em seu ápice e poderão dar início a novas possibilidade e soluções inesperadas, que nunca foram aplicadas. Bom momento para a medicina e a inspiração de milhares de profissionais da Saúde dedicados ao mesmo objetivo. Provavelmente será um tempo de renascimento da esperança em muitos corações. Espontaneamente deverão nascer impulsos criativos em pessoas de governos, empresas e organizações que podem resultar em projetos e ações muito positivas para a comunidade ou até para toda humanidade.   

Após esses 110 dias poderemos iniciar uma etapa de consenso sobre o “como” e “de que forma” agir para estabilizar o covid19, e mais preparados para uma implementação distribuída de forma mais coordenada.

A consciência estará inevitavelmente ampliada pelas experiências que serão vivenciados. Em muitos locais onde não há sintonia coletiva entre as pessoas, a dor e o sofrimento poderão ser os únicos professores para ensinar e moldar as decisões humanas ao encontro deste consenso gerado pelos fatos e experiência vividas.

Porém, quando existe ação e sintonia coletiva, este desafio pode ser superado sem dor e com equilíbrio e harmonia. Em alguns países, as escolas nunca pararam de funcionar e hoje praticamente não possuem mais casos. Nestes locais, todos estão em alerta, todos estão unidos e agem de forma coletiva.


O entendimento de que a cooperação, o altruísmo e a ação coordenada representam os melhores caminhos para seguirmos como sociedade será cada dia mais natural, intuitivo e inevitável.

Os novos modelos e metodologias propostos por governos, empresas e organizações serão os responsáveis por liderar este processo de adaptação para uma nova realidade, poderá ser melhor que a anterior.  
Segundo estes estudos do tempo e ciclos baseados na cosmologia Maia, ao final desses 110 dias poderemos ter a revelação dos caminhos claros e a construção de consensos hoje ainda impossíveis. Além de soluções para superar o problema covid19, também poderão surgir muitas iniciativas para a construção de uma “sociedade regenerativa” mais inteligente, sustentável e mais preparada para agir e pensar coletivamente.


….
**Informações obtidas a partir de análise do chamado “Estudos do Tempo” do Sincronário de 13 Luas e especificamente do calendário Tzolkin, de 260 dias, formado por 20 ciclos de 13 dias, considerado um “calendário mágico” pelos Maias, que guiava a agricultura, comemorações sociais e celebrações religiosas. Este ciclo de 260 dias está muito presente na vida, representando o tempo de gestação humana, os ciclos das fases da lua e o plantio e colheita de muitas espécies de alimentos.

Os maias baseavam a contagem do Tempo em muitos ciclos, que se encaixavam como roldanas, mas os três maiores eram: período orbital da estrela de Sírius A e Sirius B – 52 anos, a Translação Solar – 365 dias e o Ciclo Lunar – 260 dias. A proposta de uma nova contagem do tempo baseada em ciclos naturais, e não em origens artificiais e arbitrárias como do atual calendário gregoriano, é de um ano composto por 13 meses de 28 dias cada, com 4 semanas de 7 dias em cada mês.

THE CHILDBIRTH PAIN FOR A NEW WORLD

We are at the height of the transition. And this moment can be compared to the last hours of labor. Who is a mother and father who already lived the experience to follow a natural labor, knows the struggle, anxiety and inner strength that are necessary to overcome this challenging but also beautiful and inspiring moment.

Just as we are not able to see the new son properly before he is born, we are also depending on “ultrasound visions” for a “blurred”, unclear contemplation of the future, so we try to guess what is to come … which will be the “New Normal” world post-Covid19.

The “administrative systems” of the world have already been overcome by the challenges ahead. There are no solutions already applied that give complete clarity on the “ideal way” to act. We will need to CREATE the new solutions.

Right now, there are storms in the sky of our minds, shaking thoughts, and a raging emotions sea, stirring the feelings of practically all the inhabitants of the Planet.

We are all experiencing this “global fever”, which, just like in the body, has the function of activating our immune system to maximum alert. It is the culmination of a birth that, with pain and inner strength, will perform the “miracle” of generating a new being, a new reality for the planet.

The “tension” state of this stage is expected and natural. We must accept and adapt. After all, our world has already changed and there was no time to prepare with planning and tranquility for this moment. Suddenly, we live this stage of ” butterfly pupa”, cloistered, waiting for the bloom of a new stage, of a “New Normal” to move on into a productive routine

Regardless of the origin of this virus, we as humanity, have created the possibilities for this to happen.

A collapse was inevitable in the face of a civilization, which for at least the past 250 years, has been shaped by inequality, unsustainability, competition and greed.

We must thank the fact that we can give birth to a new system without wars or environmental cataclysms, as they would be much worse and more challenging paths.

The focus now should be on completing, with the greatest possible success and balance, this birth. It is not the time to take a risk, but to act with extreme caution and care, as this delicate moment demands.

We must remain extremely attentive, avoiding exposing ourselves to risks as much as possible and acting with a collective thinking for the common good. Any behavior you have reflects what messages it conveys. Do your decisions help to create or strengthen solutions?

Many solidarity networks are being formed. If you can, join one of them!

At this time, donations of any kind will be extremely vital for millions of people at social risk.

But if you simply feel the need to “close yourself off,” respond to that call and seek self-knowledge. Dedicate yourself entirely to your Inner Healing which will naturally awake your purpose and the best way of acting.

We have only one certainty: this birth will come to an end.

In the end, we will have the result of a “New Normal” that will be like a baby that we will need to guide and lead.

To everyone who feels the wakeup call, it is time to act!

We need to guide the possibilities of this “new normal” towards a new world of regeneration, based on cooperation and fraternity among all Earth’s communities.

Wakeup call to centists, doctors, politicians, leaders, thinkers, farmers, psychologists, economists, therapists, enthusiasts and everyone willing to contribute to this global mission of peace, and cooperative and integrated development.

We need everyone to build this “Global Regeneration Alliance”.

Only together, in cooperation networks, we can overcome this challenge with serenity!

Your decision to act will influence your future, the people you love, and ultimately, our own future! Everything is connected. In essence, we are all One.

AS DORES DE PARTO PARA UM NOVO MUNDO

Vivemos o ápice da transição. E este momento pode ser comparado com as derradeiras horas de um trabalho de parto. Quem é mãe e pai que acompanhou um trabalho de parto natural sabe a luta, a ansiedade e a força interior que são necessárias para superar este momento tão desafiador, porém também lindo e inspirador.

Assim como não conseguimos ver direito o novo filho antes dele nascer, também estamos dependendo de “visões de ultrassom” para uma contemplação “embaçada”, pouco nítida, de um futuro, para assim, tentarmos supor o que está por vir…qual será o “Novo Normal” deste mundo pós-Covid19.

Os “sistemas administrativos” do mundo já foram superados pelos desafios que se apresentam. Não há soluções já aplicadas que dê total clareza sobre o “caminho ideal” para agir. Precisaremos CRIAR as novas soluções.

Neste momento, há tempestades no céu da mente, abalando os pensamentos, e ressaca nas águas das emoções, mexendo com os sentimentos de praticamente todos os habitantes do Planeta.

Estamos todos vivenciando essa “febre global”, que assim como no corpo, tem a função de ativar ao máximo nossas celulas de defesa e estado de alerta. É o ápice de um parto que, com dor e força interior, realizará o “milagre” de gerar um novo ser, uma nova realidade ao planeta.

O estado “tenso” desta etapa é esperado e natural, devemos aceitar e nos adaptar. Afinal nosso mundo ja mudou e não deu tempo de nos prepararmos com planejamento e tranquilidade para este momento. De repente, vivemos este estágio de “pupa”, enclausurados, aguardando o florescer de um novo estágio, de um “Novo normal” para seguirmos novamente em alguma rotina produtiva.

Independente da origem deste vírus, nós como humanidade criarmos as possibilidades para isso acontecer.

Algum tipo de colapso era inevitável diante de uma civilização, que ao menos nos últimos 250 anos, vem sendo moldada pela desigualdade, insustentabilidade, competição e ganância.

Devemos agradecer ao fato de podermos dar a luz a um novo sistema sem guerras nem cataclismas ambientais, pois seriam caminhos muito piores e mais desafiadores.

O foco agora deve ser a finalização, com maior sucesso e equilíbrio possível, desse trabalho de parto. Não é hora de arriscar, mas sim agir com extrema cautela e zêlo, como este momento tão delicado exige.

Devemos nos manter extremamente atentos, evitando ao máximo nos expor a riscos e agindo com pensamento coletivo em prol do bem comum. Todo comportamento o que tiver reflita quais mensagens ele transmite. Suas decisões ajudam a criar ou fortalecer soluções?

Muitas redes de solidariedade estão se formando. Se puder, una-se a alguma delas!

Neste momento a doação será extremamente vital para milhões de pessoas em risco social.

Mas se simplesmente sentir a necessidade de “se fechar”, responda a esse chamado e busque o autoconhecimento. Dedique-se inteiramente a sua Cura Interior que ira despertar, naturalmente, o seu propósito é melhor modo de agir.

Só temos uma certeza: este parto (ápice) vai terminar.

Ao fim, teremos o resultado de um “Novo Normal” que será como um bebê que precisaremos guiar e conduzir.

A todos que sentem o chamado, está a hora de agir!

Precisamos guiar as possibilidades deste “novo normal” rumo a um novo mundo de regeneração, baseado na cooperação e na fraternidade entre os povos da Terra.

Chamado a centistas, médicos, políticos, líderes, pensadores, agricultores, psicólogos, economistas, terapeutas, entusiastas e todas as pessoas dispostas a contribuir com essa missão global de paz e desenvolvimento cooperativo e integrado.

Precisamos de todos para a construção desta “Aliança Global pela Regeneração”.

Apenas unidos, em redes de cooperação, poderemos superar com equilíbrio este desafio!

A sua decisão por agir irá influenciar o seu futuro, das pessoas que você ama, e por fim, de nosso próprio futuro! Tudo está conectado. Em essência, somos todos Um.

Quase 25.000 endereços de e-mail e senhas, supostamente do NIH, OMS, Gates Foundation e outros, são publicados online

Ativistas desconhecidos postaram quase 25.000 endereços de e-mail e senhas pertencentes aos Institutos Nacionais de Saúde, Organização Mundial de Saúde, Fundação Gates e outros grupos que trabalham para combater a pandemia de coronavírus , de acordo com o SITE Intelligence Group, que monitora extremismo e terrorismo online grupos.

Embora o SITE não tenha conseguido verificar se os endereços de e-mail e as senhas são autênticos, o grupo afirmou que as informações foram divulgadas domingo e segunda-feira e quase imediatamente utilizadas para fomentar tentativas de invasão e assédio por extremistas de extrema-direita. 

Um especialista australiano em segurança cibernética, Robert Potter, disse que conseguiu verificar que os endereços de e-mail e senhas da OMS eram reais.

As listas, cujas origens não são claras, parecem ter sido postadas primeiro no 4chan, um feed de mensagens famoso por seus comentários políticos “raivosos” e extremos, e mais tarde no Pastebin, um site de armazenamento de texto, no Twitter e em canais extremistas de extrema direita no Telegram, um aplicativo de mensagens. “Neo-nazistas e supremacistas brancos capitalizaram as listas e os publicaram agressivamente em suas redes”, disse Rita Katz, diretora executiva do SITE. “Usando os dados, extremistas de extrema direita pediam uma campanha de assédio enquanto compartilhavam teorias da conspiração sobre a pandemia de coronavírus. A distribuição dessas supostas credenciais de e-mail foi apenas mais uma parte de uma iniciativa de um mês na extrema direita para armar a pandemia dos 19-secretos. ”

O relatório do SITE, com sede em Bethesda, Maryland, disse que o maior grupo de supostos e-mails e senhas era do NIH, com 9.938 encontrados em listas publicadas online. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças tiveram o segundo maior número, com 6.857. O Banco Mundial tinha 5.120. A lista de endereços e senhas da OMS totalizou 2.732.

Um número menor de inscrições foi listado para a Gates Foundation , um grupo filantrópico privado cujo co-fundador, o co-fundador da Microsoft Bill Gates, anunciou na semana passada US $ 150 milhões em novos fundos para combater a pandemia. Também teve como alvo o Instituto Wuhan de Virologia , um centro de pesquisa chinês na cidade onde começou a pandemia, acusada de ter um papel no desencadeamento do surto.

O NIH divulgou um comunicado na quarta-feira dizendo: “Estamos sempre trabalhando para garantir a cibersegurança ideal para o NIH e tomar as medidas necessárias para lidar com ameaças ou preocupações. Não comentamos assuntos específicos de segurança cibernética, pois essas informações podem ser usadas para realizar atividades maliciosas. ”

O CDC, a OMS e o Banco Mundial não responderam aos pedidos de comentários. A Gates Foundation afirmou em comunicado: “Estamos monitorando a situação de acordo com nossas práticas de segurança de dados. Atualmente, não temos indicação de violação de dados na fundação. ”

O FBI se recusou a comentar.

A porta-voz do Twitter, Katie Rosborough, disse: “Estamos cientes dessa atividade da conta e estamos tomando medidas de aplicação generalizadas de acordo com nossas regras, especificamente nossa política de informações privadas. Também estamos realizando uma ação de remoção em massa no URL vinculado ao site em questão. ”

Potter, executivo-chefe da empresa australiana Internet 2.0, disse que conseguiu acessar os sistemas de computadores da OMS usando endereços de email e senhas postados na Internet. A OMS tem sofrido fortes críticas, inclusive do presidente Trump , que suspendeu o financiamento, por sua resposta ao novo coronavírus e foi acusado de ser muito respeitoso com a China.


A Organização Mundial da Saúde – sob ataque de Trump – também foi alvo de conservadores em 1948

“A segurança de suas senhas é terrível”, disse Potter sobre a OMS. “Quarenta e oito pessoas têm ‘senha’ como senha”. Outros, ele disse, usaram seus próprios nomes ou “changeme”.

Potter disse que os supostos endereços de e-mail e senhas podem ter sido comprados de fornecedores na dark Web, uma parte da Internet que não é indexada pela maioria dos mecanismos de pesquisa e onde as informações invadidas geralmente são postadas para venda. Ele disse que as credenciais da OMS parecem ter vindo de uma invasão em 2016.

Katz, do SITE, disse que, embora o material de hacks antigos apareça ocasionalmente na dark Web, “ainda não encontramos nenhuma prova sólida disso para este caso específico”.

Já estão sendo implantadas referências on-line às informações invadidas para alimentar a desinformação, incluindo a vinculação do HIV, o vírus que causa a AIDS, ao coronavírus.

Entre os locais de destaque do Telegram para compartilhar as informações, estava o canal neonazista “Terrorwave Refined”, um canal de recrutamento e apoio proeminente para grupos neonazistas, como o Batalhão Azov, o Movimento de Resistência Nórdico e da Base. Nos últimos quatro meses, o número de usuários inscritos no Terrorwave Refined aumentou em 30%, com o canal agora hospedando mais de 5.300 seguidores.

Terrorwave Refined compartilhou tweets e um tópico no 9chan, outro fórum popular entre extremistas, contendo os endereços e senhas. O Terrorwave Refined postou um meme que implicava que as informações apreendidas pelos endereços de e-mail e senhas “confirmavam que o SARS-Co-V-2 estava de fato artificialmente emendado com o HIV”, referindo-se ao nome científico do coronavírus.

Um post no Twitter com links para os dados dizia: “Os ânons sabem o que fazer … tornam isso viral” – uma provável referência a seguidores anônimos.

——— ANÁLISE JNE ——–
Já era previsível que isso ocorreria nestes longos meses de quarentena global. Precisamos, como sociedade, saber discernir muito bem as fontes confiáveis de dados, mesmos vazados, que podem alterar os rumos e percepção da humanidade sobre este desafio desconhecido do Covid-19.

Muito importante para nosso próprio futuro que estejamos em máxima cooperação e guiados por pensamentos coletivos para construção das soluções que irão construir o “novo normal” da sociedade.

————- FONTE INFORMAÇÃO —————–

Fonte Reportagem: TheWashingtonPost.com – publicado em 22 de abril de 2020 às 12:25 (-3GMT)
link: https://www.washingtonpost.com/technology/2020/04/21/nearly-25000-email-addresses-passwords-allegedly-nih-who-gates-foundation-are-dumped-online/

———————————–

A PERFEITA MECÂNICA DE UM VÍRUS CAPAZ DE REVOLUCIONAR A HUMANIDADE SEM O COLAPSO COMPLETO

A características do Covid-19 demonstram sua grande eficiência em parar completamente a sociedade, porém sem o total colapso, mantendo setores essenciais (luz, energia, internet, supermercado, etc). Em geral, conseguiremos superar em nossas próprias casas, em família.

Apresenta especial capacidade de uma grande transformação da área econômica, do dinheiro, e das prioridades do Poder Público e de nós mesmo como cidadãos deste planeta.

Listo abaixo 6 pontos sobre essa “perfeição” meticulosa do vírus para nos parar sem colapsar:

1) 1% a 8% de taxa de letalidade (nem tão grande para o pânico geral nem tão pequena para ser ignorada)

2) Disseminação de cada doente para até 3 pessoas em média (alto para ser ignorada)

3) Disseminação por pessoas sem sintomas (isso impossibilita tratar apenas as pessoas com sintomas para controle)

4) Não há vacinas nem tratamento específicos para a doença

5) Ser humano nenhum na Terra tem imunidade contra a doença (diferente, por ex, do vírus da Influenza como o H1N1)

6) Necessidade de atendimento médico de cerca de 20% dos contaminados (sobrecarregamento do sistema de saúde, já com dificuldade para enfrentar as situações normais)

E os extras:

1) Atinge especialmente a classe mais rica da população (consequentemente os donos das mídias, jornais, hospitais, cargos políticos, etc….fazendo a resposta de controle e alarde ser muito amplificado)

2) Pela primeira vez na história da humanidade TODAS as nações estão unidas por um ÚNICO objetivo: desenvolver algum tratamento/vacina para esta doença. Em uma guerra mundial contra um inimigo invisível e sem ideologias.

3) O isolamento social, aliado ao medo inevitável, está provocando a maior revolução de consciência e busca pela espiritulidade, meditação, oração que já vimos na história moderna da sociedade….trabalhando a tolerância a nível extremo em confinamento e a empatia pela necessidade de agir pelo bem estar coletivo.

4) A Natureza está se regenerando a níveis extraordinários. Os impactos sobre a terra, ar, água e muitas espécies reduzidas a níveis recordes (com algumas exceções, como no Brasil que o desmatamento da Amazônia está crescendo com a queda de fiscalização)

COMO PODEMOS SUPERAR ESTE DESAFIO?

Há, neste momento, uma separação clara de dois tipos de pessoas:
1) As direcionadas para o “Amor a Si” (“meu emprego, “meus filhos”, “minha renda”, “meu bem estar”);
2) As pessoas direcionadas ao “Amor aos Outros” (“nossa sociedade”, “nossos filhos”, “nós antes do “eu”).

Repare nos discursos. Repare nas formas de agir de cada um. Esta divisão nunca esteve tão clara.

Unidos conseguiremos superar com maestria este desafio e nos tornar uma humanidade melhor.

Individualizados sucumbiremos de forma desastrosa e em breve enfrentaremos algo ainda pior.

“Quando o aprendizado não ocorre, a lição se repete”.

Façamos nós a DECISÃO por agir, pensar, sentir e apoiar o coletivo, a solidariedade e a cooperação.

Aproveitemos essa magnífica oportunidade de evoluir em nossas casas, em paz, em família.

Sigamos como lagartas em pupa crescendo internamente para o milagre da borboleta se tornar realidade.

A Grande Oportunidade – Covid19

Estamos diante da maior oportunidade de nossa história para construção de uma nova civilização baseada na cooperação.

A migração de um modo de produção movido a interesses individuais, para uma sociedade direcionada por objetivos coletivos.

Pela primeira vez no capitalismo estamos em guerra contra um inimigo em comum, invisível e sem ideologia. Toda humanidade convidada a se recolherem para se curar. Sem bombas, sem tiros, sem tanques ou jatos militares.

Em isolamento, somos convidados ao autoconhecimento. Ao despertar da “voz interior” que vem trazendo questionamentos profundos sobre suas razões de existir, seu propósito e metas de vida.

Neste momento, as atitudes de solidariedade, cooperativismo e de pensamentos coletivos são como respiradores para um planeta em UTI. São luzes que inspiram os novos caminhos do futuro. É esperança e alento a um sistema planetário totalmente insustentável e, até então, sem perspetivas de mudança, mesmo com os fortes gritos da ciência e de nossos novos líderes que começam a despertar em sua juventude.

Hoje apenas 8 pessoas possuem mais recursos que 50% da população do nosso planeta de quase 8 bilhões habitantes. Até quando iríamos chegar em concentração e desigualdade?

De que adianta recursos, com o equilíbrio social e ambiental em colapso?

De que adianta sua empresa prosperar se não houver estabilidade para o mercado consumidor?

De que adianta pensar apenas em você se dependemos de tantos para viver?

Temos inteligência e tecnologia para soluções globais de alta eficiência e ampla cobertura populacional, com transparência e participação social.

Não faz sentido termos 1 bilhão de pessoas passando fome, se já produzimos alimentos suficientes para alimentar a todos.

Não faz sentido 800 milhões de pessoas ainda dependendo da lenha para cozinhar, se já temos tecnologias acessíveis para resolução.

Não faz sentido termos tantos refugiados e pessoas em miséria e abandonados se temos terra suficiente para todos.

Possuímos todos os recursos e competências para uma atualização de sistema.

Um novo modelo de desenvolvimento socialmente justo, economicamente viável e ambientalmente sustentável. Onde também pode ser norteado pela meritrocracia e o crescimento individual, porém SEMPRE conectado por propósitos coletivos e em plena sustentabilidade em toda cadeia produtiva.

Este sistema pode levar décadas para se estabelecer, mas ele pode nascer HOJE.

O Coronavírus veio nos presentear com a maior oportunidade de transição que já vivenciamos.

Aos que sentem o chamado, chegou a hora de agir pelo bem coletivo! Apoie soluções, pensamentos e sentimentos que promovem a união, solidariedade e cooperação!

Que após essa tempestade possamos celebrar juntos a alvorada de uma Nova Terra de Regeneração.

A HORA DE DESPERTAR SEU PROPÓSITO

À todos que sentem o chamado para à prática do Bem, chegou a hora de agir!
À todos que sentem que estão vivendo por uma missão coletiva, chegou a hora de agir!
A todos que sentem que o NÓS é mais importante que o EU, chegou a hora de agir!

Os colapsos já eram esperados. Os ciclos de transição da Terra já são explicados e anunciados há milênios. E, para agravar, nossa sociedade cresceu sob sistemas artificiais, anti-naturais e insustentáveis, e invariavelmente receberiam frutos de colapsos.

O chamado é para AGIR para que este desafio Global seja o estopim para o nascer de uma nova era. A tão anunciada “Terra de Regeneração”, baseada na cooperação e fraternidade.

Mas para isso devemos começar a agir hoje! Seja nas ruas como voluntário em Medicina, na internet e redes sociais ou mesmo em oração e meditação, o chamado é para transmitir pensamentos e sentimentos de esperança e soluções. Transformar a polaridade do medo em confiança e equilíbrio.

Um missão coletiva só se vence com a participação de muitos!

Caso ainda não saiba como agir, pergunte em meditação ao seu coração e receberá orientação para agir.

CHEGOU A HORA DE AGIR!
LEVANTEM-SE GUERREIROS DA ESPERANÇA!

“Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, pois tu estás comigo”. Salmo 23:4